sicnot

Perfil

Mundo

Rei da noite de Madrid condenado a quatro anos de prisão

Reuters

O maior empresário da noite de Madrid foi hoje condenado a quatro anos de prisão pela morte de cinco jovens num acidente na sala de espetáculos "Madrid Arena" durante uma festa de Halloween em 12 de novembro de 2012.

O tribunal condenou Miguel Ángel Flores por cinco delitos de homicídio e 29 delitos de lesões por imprudência grave, considerando-o o "máximo responsável" dos acontecimentos.

As cinco jovens morreram na sequência de ferimentos depois de terem sido espezinhadas pela multidão que tentava sair do recinto da festa no Madrid Arena, um estádio coberto equipado para acolher uma festa de "Halloween" de grandes dimensões, e que estava sobrelotado.

O tribunal sublinha que a avalanche mortal foi possível pela "conduta gravemente imprudente de Miguel Ángel Flores, imprópria de um empresário experiente neste tipo de negócios" e que este "tentou conseguir a todo o momento o máximo benefício económico".

Os magistrados consideram que a morte das cinco jovens se deveu à sobrelotação do recinto estimada em 16.600 pessoas.

O tribunal também condenou a três anos de prisão por cinco delitos de homicídio por imprudência grave e lesões o coordenador de projetos do departamento de operações da empresa Madrid Espacios y Congresos, Francisco del Amo, e o diretor-geral da empresa Diviertt, Santiago Rogo, que promoveu o evento.

Miguel Ángel Flores era considerado o "rei da noite" madrilena, com a maior parte dos eventos noturnos a ser organizados pelas suas empresas.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.