sicnot

Perfil

Mundo

Terra está a perder oxigénio

Pesquisas indicam que o Nono Planeta tem uma massa dez vezes superior à da Terra e orbita o Sol a uma distância média 20 vezes superior à de Neptuno.

© NASA NASA / Reuters

A Terra está a perder oxigénio. Uma investigação publicada na revista Science revela a conclusão, mas tranquiliza: apesar da perda de oxigénio ser preocupante, os níveis do precioso gás só baixaram 0,7% em 800 mil anos.

No estudo, os investigadores assumem que descobrir com exactidão o verdadeiro motivo desta perda de oxigénio é um processo muito difícil, mas dão algumas hipóteses. Por um lado, as taxas de erosão parecem ter acelerado na história geológica recente, causando sedimentos mais frescos a serem expostos e oxidados pela atmosfera, causando um consumo maior de oxigénio.

Por outro lado, as mudanças climáticas de longo prazo também podem estar na origem deste problema. Excluindo o aquecimento provocado pelo Homem, a temperatura média do planeta tem decrescido nos últimos milhões de anos.

Os cientistas analisaram os núcleos de gelo da Gronelândia e da Antártida, que contêm bolhas de ar presas - representando a atmosfera terrestre ao longo dos últimos milhões de anos.

"À medida que os oceanos arrefecem, a solubilidade do oxigénio sobe, isto quer dizer que oxidamos mais carbono orgânico [no oceano] e isso significa que há menos para devolver à atmosfera", explica Daniel Stolper, um dos investigadores.

Por outro lado, diz, a sociedade industrial tem deixado o seu contributo:

"Estamos a consumir O2 a uma taxa mil vezes superior ao que se registava antes. A humanidade provocou uma quebra no ciclo do oxigénio ao queimar toneladas de carvão".

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.