sicnot

Perfil

Mundo

Bactérias dos intestinos revelam grau de obesidade

© Daniel Munoz / Reuters

A diversidade de bactérias presentes nos intestinos pode estar diretamente relacionada com o nível de gordura em todo o organismo.

Segundo o estudo de uma equipa britânica, o risco e grau de obesidade de uma pessoa pode ser previsto e influenciado pelas bactérias, algumas herdadas dos pais.

Analisando as fezes de 1313 indivíduos, os investigadores do King's College de Londres concluíram que quanto menor a diversidade de bactérias, mais gordura há no organismo. Estudaram ainda 3666 gémeos e perceberam que muita gordura é "altamente hereditária".

"O estudo demonstrou uma clara ligação entre a diversidade de bactérias nas fezes e os marcadores de obesidade e risco cardiovascular devido à gordura visceral", afirma uma das investigadoras Michelle Beaumont.

Os cientistas ainda não determinaram a causa e efeito, mas dado que a gordura excessiva está diretamente associada a problemas cardíacos, tudo o que se faça para a reduzir ajuda.

Micróbios e saúde

À medida que se desenvolvem mais estudos sobre os micróbios internos entende-se melhor o papel que têm na nossa saúde e como é importante manter uma diversidade para o melhor processamento de alimentos e para o combate a doenças. Sabe-se já que o nosso microbioma - comunidade de microorganismos que colonizam diversas partes do organismo - contribui para algumas doenças como sindrome de fadiga crónica, depressão, ansiedade ou risco cardiovascular.

A longo prazo, os cientistas esperam conseguir melhorar a saúde das pessoas tratanto diretamento o microbioma.

Há já experiências feitas com ratinhos em que se fez um transplante fecal que de facto "reprogramou" as colónias de bactérias do estômago e eliminou alguns micróbios resistentes a antibióticos.

No que respeita à relação entre as bactérias dos intestinos e a gordura abdominal, ainda são precisas mais investigações.