sicnot

Perfil

Mundo

Búlgara Kristalina Georgieva afirma que candidatura à ONU é uma grande honra

A vice-presidente da Comissão Europeia Kristalina Georgieva qualificou como uma "grande honra" o apoio do Governo da Bulgária à sua candidatura ao cargo de secretário-geral da ONU.

"Aceito a nomeação sabendo o quão responsável é esta posição. E sabendo o quão importante é para este mundo ser um lugar mais seguro, forte, justo e próspero para as gerações presentes e futuras", disse a búlgara Kristalina Georgieva, numa mensagem de vídeo citada pelo "site" do jornal Sofia Globe.

A declaração foi divulgada algumas horas depois de o governo de Sófia ter retirado o apoio à candidata Irina Bokova, atual diretora-geral da UNESCO, e de ter anunciado o nome da comissária europeia, que obteve uma licença sem vencimento da Comissão Europeia, para a corrida ao cargo de secretário-geral da ONU.

"Acreditamos que é uma candidatura de sucesso", disse o primeiro-ministro búlgaro, Boiko Borissov, em declarações hoje aos jornalistas na capital búlgara referindo-se à comissária Kristalina Georgieva, responsável pelo Orçamento e Recursos Humanos.

Georgieva, candidata apoiada pela chanceler alemã, Angela Merkel, é considerada a mais difícil adversária do ex-primeiro-ministro português António Guterres na corrida à liderança das Nações Unidas.

Após o anúncio do primeiro-ministro búlgaro, Irina Bokova reagiu nas redes sociais, escrevendo no Twitter que continua "completamente comprometida" na eleição para o cargo de secretário-geral da ONU.

"Grata a todos os que me apoiam e completamente comprometida em continuar a corrida para próxima secretária-geral", disse a líder da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) na rede social Twitter.

O nome de Georgieva já tinha sido avançado durante a primavera e foi depois recuperado em agosto e em setembro, depois de Bokova não conseguir um bom resultado nas primeiras rondas de votações no Conselho de Segurança.

Há duas semanas, o primeiro-ministro búlgaro disse que reconsideraria o apoio à candidata depois de conhecidos os resultados da votação de 26 de setembro.

Nessa ronda, em que António Guterres tornou a ser o vencedor, Bokova não foi além do quinto lugar, tendo perdido apoios, o que terá motivado a decisão do líder búlgaro.

A próxima votação, em que pela primeira vez serão destacados os vetos dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, está agendada para 5 de outubro.

Lusa

  • Governo recomenda retirada de livros polémicos da Porto Editora

    País

    A Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, "por orientação do ministro adjunto", recomendou hoje à Porto Editora a retirada do mercado dos blocos de atividades que fazem distinção entre rapazes e raparigas. O organismo considera que podem estar em causa a "diferenciação e desvalorização do papel das raparigas no espaço público e dos rapazes no espaço privado".

    Ricardo Rosa

  • Enfermeiros especialistas em saúde materna retomam protesto 

    País

    Os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia voltam quinta-feira de manhã a interromper as funções especializadas, o que pode afetar blocos de parto e maternidades. Queixam-se de "falta de resposta política adequada" e "ausência de acordos sérios".

  • Cristas vaiada em bairro de Chelas
    1:44

    Autárquicas 2017

    Assunção Cristas promete mudanças na Gebalis, a empresa municipal que gere os bairros sociais em Lisboa. Esta manhã, a candidata do CDS à câmara visitou um bairro de Chelas, onde foi vaiada por alguns populares.

  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • "Em vez de ajudarem, estavam a tirar fotos dela a morrer"
    1:13
  • Criança irrequieta domina noticiário britânico
    1:19