sicnot

Perfil

Mundo

Búlgara Kristalina Georgieva afirma que candidatura à ONU é uma grande honra

A vice-presidente da Comissão Europeia Kristalina Georgieva qualificou como uma "grande honra" o apoio do Governo da Bulgária à sua candidatura ao cargo de secretário-geral da ONU.

"Aceito a nomeação sabendo o quão responsável é esta posição. E sabendo o quão importante é para este mundo ser um lugar mais seguro, forte, justo e próspero para as gerações presentes e futuras", disse a búlgara Kristalina Georgieva, numa mensagem de vídeo citada pelo "site" do jornal Sofia Globe.

A declaração foi divulgada algumas horas depois de o governo de Sófia ter retirado o apoio à candidata Irina Bokova, atual diretora-geral da UNESCO, e de ter anunciado o nome da comissária europeia, que obteve uma licença sem vencimento da Comissão Europeia, para a corrida ao cargo de secretário-geral da ONU.

"Acreditamos que é uma candidatura de sucesso", disse o primeiro-ministro búlgaro, Boiko Borissov, em declarações hoje aos jornalistas na capital búlgara referindo-se à comissária Kristalina Georgieva, responsável pelo Orçamento e Recursos Humanos.

Georgieva, candidata apoiada pela chanceler alemã, Angela Merkel, é considerada a mais difícil adversária do ex-primeiro-ministro português António Guterres na corrida à liderança das Nações Unidas.

Após o anúncio do primeiro-ministro búlgaro, Irina Bokova reagiu nas redes sociais, escrevendo no Twitter que continua "completamente comprometida" na eleição para o cargo de secretário-geral da ONU.

"Grata a todos os que me apoiam e completamente comprometida em continuar a corrida para próxima secretária-geral", disse a líder da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) na rede social Twitter.

O nome de Georgieva já tinha sido avançado durante a primavera e foi depois recuperado em agosto e em setembro, depois de Bokova não conseguir um bom resultado nas primeiras rondas de votações no Conselho de Segurança.

Há duas semanas, o primeiro-ministro búlgaro disse que reconsideraria o apoio à candidata depois de conhecidos os resultados da votação de 26 de setembro.

Nessa ronda, em que António Guterres tornou a ser o vencedor, Bokova não foi além do quinto lugar, tendo perdido apoios, o que terá motivado a decisão do líder búlgaro.

A próxima votação, em que pela primeira vez serão destacados os vetos dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, está agendada para 5 de outubro.

Lusa

  • Novas imagens dos momentos após Khalid Masood ter embatido no muro do Parlamento britânico
    1:35
  • Parlamento português pede demissão de Dijsselbloem

    País

    A Assembleia da República foi hoje unânime na condenação das polémicas declarações do presidente do Eurogrupo, mas recusou um ponto pela rejeição de diversos compromissos com a União Europeia (UE) exigida pelo PCP.

  • Comissão Europeia quer proibir o tabaco na praia

    País

    A Comissão Europeia quer proibir o tabaco em todos os espaços públicos, incluindo praias, parques infantis e equipamentos desportivos. A proposta foi apresentada pelo comissário da Saúde e Segurança Alimentar que, além de querer reduzir a dependência do tabaco, também sugere que todos os estados membros apliquem uma idade mínima para a venda de tabaco.

  • Como se resolve a falta de espaço numa cidade chinesa?
    1:07