sicnot

Perfil

Mundo

Búlgara Kristalina Georgieva afirma que candidatura à ONU é uma grande honra

A vice-presidente da Comissão Europeia Kristalina Georgieva qualificou como uma "grande honra" o apoio do Governo da Bulgária à sua candidatura ao cargo de secretário-geral da ONU.

"Aceito a nomeação sabendo o quão responsável é esta posição. E sabendo o quão importante é para este mundo ser um lugar mais seguro, forte, justo e próspero para as gerações presentes e futuras", disse a búlgara Kristalina Georgieva, numa mensagem de vídeo citada pelo "site" do jornal Sofia Globe.

A declaração foi divulgada algumas horas depois de o governo de Sófia ter retirado o apoio à candidata Irina Bokova, atual diretora-geral da UNESCO, e de ter anunciado o nome da comissária europeia, que obteve uma licença sem vencimento da Comissão Europeia, para a corrida ao cargo de secretário-geral da ONU.

"Acreditamos que é uma candidatura de sucesso", disse o primeiro-ministro búlgaro, Boiko Borissov, em declarações hoje aos jornalistas na capital búlgara referindo-se à comissária Kristalina Georgieva, responsável pelo Orçamento e Recursos Humanos.

Georgieva, candidata apoiada pela chanceler alemã, Angela Merkel, é considerada a mais difícil adversária do ex-primeiro-ministro português António Guterres na corrida à liderança das Nações Unidas.

Após o anúncio do primeiro-ministro búlgaro, Irina Bokova reagiu nas redes sociais, escrevendo no Twitter que continua "completamente comprometida" na eleição para o cargo de secretário-geral da ONU.

"Grata a todos os que me apoiam e completamente comprometida em continuar a corrida para próxima secretária-geral", disse a líder da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) na rede social Twitter.

O nome de Georgieva já tinha sido avançado durante a primavera e foi depois recuperado em agosto e em setembro, depois de Bokova não conseguir um bom resultado nas primeiras rondas de votações no Conselho de Segurança.

Há duas semanas, o primeiro-ministro búlgaro disse que reconsideraria o apoio à candidata depois de conhecidos os resultados da votação de 26 de setembro.

Nessa ronda, em que António Guterres tornou a ser o vencedor, Bokova não foi além do quinto lugar, tendo perdido apoios, o que terá motivado a decisão do líder búlgaro.

A próxima votação, em que pela primeira vez serão destacados os vetos dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, está agendada para 5 de outubro.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.