sicnot

Perfil

Mundo

Congresso elimina veto de Obama a processos à Arábia Saudita pelo 11 de setembro

O Congresso dos EUA aprovou esta quarta-feira, por larga maioria, a rejeição de um veto do Presidente Barack Obama de uma lei que autorizava os familiares das vítimas do 11 de setembro a processarem a Arábia Saudita.

Esta foi a primeira vez que um veto de Obama foi rejeitado no congresso.

Os membros da Câmara dos Representantes aprovaram, por 348 votos contra 77, a rejeição do veto, pouco depois de um voto similar do Senado.

Na sexta-feira, Obama tinha vetado a lei que autorizava aqueles processos visando a Arábia Saudita, um aliado dos EUA, cuja implicação naqueles atentados nunca foi demonstrada.

Quinze dos 19 autores dos atentados, que fizeram mais de três mil mortos em 2001, eram cidadãos sauditas.

Desde a sua chegada ao poder em 2009, Barack Obama usou o seu direito de veto por 112 vezes, mas a maioria de dois terços no Congresso necessária para os rejeitar nunca tinha sido conseguida.

No Senado, este raro voto bipartidário foi ainda mais acentuado, com 97 senadores, em 100, a votarem a rejeição do veto, contra apenas um, o de Harry Reid, que chefia a minoria democrata na câmara alta.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, saudou a "coragem" deste senador e retomou os argumentos de segurança usados por Obama para justificar o seu veto.

"Esta foi talvez a decisão mais embaraçante que o Senado dos EUA alguma vez tomou desde 1983", considerou, a propósito deste voto de hoje.

"O facto de os membros do Senado norte-americano só trem sido informados há pouco tempo do impacto negativo desta proposta de lei, para os nossos militares e diplomatas é em si embaraçante", acrescentou.

A Casa Branca tinha estimado que o texto enfraquecia o princípio de imunidade que protege os Estados (e os seus diplomatas) de processos judiciais e poderia criar o risco, por um efeito boomerang, expor os EUA a processos em vários tribunais pelo mundo.

Lusa

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.