sicnot

Perfil

Mundo

Congresso elimina veto de Obama a processos à Arábia Saudita pelo 11 de setembro

O Congresso dos EUA aprovou esta quarta-feira, por larga maioria, a rejeição de um veto do Presidente Barack Obama de uma lei que autorizava os familiares das vítimas do 11 de setembro a processarem a Arábia Saudita.

Esta foi a primeira vez que um veto de Obama foi rejeitado no congresso.

Os membros da Câmara dos Representantes aprovaram, por 348 votos contra 77, a rejeição do veto, pouco depois de um voto similar do Senado.

Na sexta-feira, Obama tinha vetado a lei que autorizava aqueles processos visando a Arábia Saudita, um aliado dos EUA, cuja implicação naqueles atentados nunca foi demonstrada.

Quinze dos 19 autores dos atentados, que fizeram mais de três mil mortos em 2001, eram cidadãos sauditas.

Desde a sua chegada ao poder em 2009, Barack Obama usou o seu direito de veto por 112 vezes, mas a maioria de dois terços no Congresso necessária para os rejeitar nunca tinha sido conseguida.

No Senado, este raro voto bipartidário foi ainda mais acentuado, com 97 senadores, em 100, a votarem a rejeição do veto, contra apenas um, o de Harry Reid, que chefia a minoria democrata na câmara alta.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, saudou a "coragem" deste senador e retomou os argumentos de segurança usados por Obama para justificar o seu veto.

"Esta foi talvez a decisão mais embaraçante que o Senado dos EUA alguma vez tomou desde 1983", considerou, a propósito deste voto de hoje.

"O facto de os membros do Senado norte-americano só trem sido informados há pouco tempo do impacto negativo desta proposta de lei, para os nossos militares e diplomatas é em si embaraçante", acrescentou.

A Casa Branca tinha estimado que o texto enfraquecia o princípio de imunidade que protege os Estados (e os seus diplomatas) de processos judiciais e poderia criar o risco, por um efeito boomerang, expor os EUA a processos em vários tribunais pelo mundo.

Lusa

  • Explosão próximo do aeroporto de Damasco

    Mundo

    A televisão do movimento xiita libanês Hezbollah, aliado do regime sírio, noticiou hoje que a explosão ocorrida esta madrugada perto do aeroporto de Damasco "foi provavelmente" resultado de um ataque israelita contra depósitos de combustível.

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Macron e Le Pen em troca de acusações
    2:16

    Eleições França 2017

    A campanha eleitoral para a segunda volta em França ficou esta quarta-feira marcada por uma troca de acusações entre os dois candidatos. De visita a uma fábrica em risco de encerramento, Le Pen prometeu que se for eleita salvará os 300 postos de trabalho. Emmanuel Macron acusou a candidata da extrema-direita de aproveitamento político.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • "Esta moda bizarra de não vacinar crianças tem tido estas consequências"
    1:43

    Surto de sarampo

    Há mais um caso de sarampo registado pela Direção-Geral da Saúde, no total já são 25. Francisco George garantiu que a situação não é preocupante para as crianças em idade escolar e recomendou uma discussão parlamentar sobre a vacinação. Mais de 11 mil pessoas já assinaram uma petição pública a defender a vacinação obrigatória. 

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.