sicnot

Perfil

Mundo

Governo promete fazer mais pela candidatura de Guterres à ONU

Governo promete fazer mais pela candidatura de Guterres à ONU

O Governo promete fazer mais pela candidatura de António Guterres à liderança da ONU. Se por um lado, Guterres não quis comentar a substituição da candidata búlgara, por outro, Marcelo Rebelo de Sousa não gostou, considerando que a situação deixa uma "sensação muito desconfortável".

  • "Esta era a candidata que se temia há algum tempo"
    6:58

    Opinião

    A búlgara Kristalina Georgieva é a nova candidata a secretária-geral da ONU. Para Ricardo Costa "esta era a candidata que se temia há algum tempo", por se tratar de uma pessoa apoiada pela Comissão Europeia e com ligações ao leste europeu. O Diretor de Informação da SIC diz ainda que a chave para a decisão de quem irá chefiar os destinos das Nações Unidas pode estar nas mãos de Vladimir Putin.

  • Guterres recusa comentar candidatura de Georgieva à ONU
    2:17

    Mundo

    Há mais uma candidata a secretária-geral da ONU. A búlgara Kristalina Georgieva tirou licença sem vencimento da vice-presidência da Comissão Europeia, para entrar na corrida às Nações Unidas. Uma candidatura que o antigo primeiro-ministro e candidato à chefia da ONU, António Guterres, não quis para já comentar.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.