sicnot

Perfil

Mundo

ONG querem que Georgieva se submeta ao mesmo escrutínio que outros candidatos

Cerca de 750 organizações não governamentais (ONG) de todo o mundo, que se reúnem na campanha "1 for 7 Billion", querem que a nova candidata a secretário-geral da ONU, Kristalina Georgieva, se submeta ao mesmo escrutínio que os outros candidatos.

"É importante para a legitimidade da ONU e do cargo de secretário-geral que qualquer pessoa que o venha a ocupar tenha passado pelo processo de seleção acordado pelos países-membros e que interaja com os seus constituintes mais importantes: os sete mil milhões de pessoas no mundo", disse à Lusa a cofundadora da "1 for 7 Billion" Natalie Samarasinghe.

O nome de Kristalina Georgieva, candidata que terá o apoio da chanceler alemã, Angela Merkel, foi anunciado hoje pelo primeiro-ministro búlgaro.

A vice-presidente da Comissão Europeia é agora considerada a mais difícil adversária do ex-primeiro-ministro português António Guterres, que venceu as primeiras cinco votações.

A responsável da "1 for 7 Billion", que foi constituída com o propósito de que o melhor candidato para o cargo seja escolhido, diz que "foi sempre pedido que todos os interessados se candidatassem atempadamente."

"Acreditámos que isto apoiaria uma maior transparência do processo, permitiria mais interação com o público e daria ao candidato vencedor tempo para se preparar para este difícil trabalho", explicou.

A "1 for 7 Billion" (1 por 7 mil milhões), que reúne diferentes organizações, como a Amnistia Internacional ou Federação das Associações de Comércio Internacional (FITA), e personalidades como o antigo secretário-geral da ONU Kofi Annan, foi uma das vozes mais influentes na exigência de maior transparência na eleição para secretário-geral.

Este ano, pela primeira vez, os candidatos apresentaram a sua visão para o cargo em cerimónias públicas, responderam a perguntas da Assembleia Geral e da sociedade civil e participaram em debates com os outros concorrentes.

"Com notícias de um novo candidato, a nossa preocupação é pedir para que passe pelo processo que foi implementado, o que deve incluir um diálogo na Assembleia Geral. Também acreditamos que deve interagir com a imprensa e com a sociedade civil como fizeram outros candidatos, com diversos graus de envolvimento", explicou Samarasinghe.

A responsável notou que "António Guterres, por exemplo, foi um dos sete candidatos que participou nos debates do Reino Unido", quando outros cinco candidatos estiveram ausentes.

O nome de Georgieva já tinha sido avançado durante a primavera e foi depois recuperado em agosto e em setembro, depois de outra búlgara, Irina Bokova, não conseguir um bom resultado nas primeiras rondas de votações.

Há duas semanas, o primeiro-ministro búlgaro disse que reconsideraria o apoio à líder da UNESCO depois de conhecidos os resultados da votação de 26 de setembro.

Nessa ronda, em que António Guterres tornou a ser o vencedor, Bokova não foi além do quinto lugar, tendo perdido apoios, o que terá motivado a decisão do líder búlgaro.

A próxima votação, em que pela primeira vez serão destacados os vetos dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, está agendada para 5 de outubro.

Lusa

  • Samaris suspenso por três jogos

    Desporto

    O internacional grego do Benfica Samaris foi castigado com três jogos de suspensão pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, após ter sido instaurado um auto de flagrante delito por parte da Comissão de Instrutores.

    Em atualização

  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.