sicnot

Perfil

Mundo

Presidente da Catalunha quer novo referendo sobre independência

O presidente do Governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, anunciou esta quarta-feira, em Barcelona, que tenciona convocar um referendo sobre a independência da Catalunha em setembro de 2017, com ou sem aval do Estado espanhol.

"Nós tentaremos obter o acordo [de Madrid] até ao fim", declarou Puigdemont citado pela Efe, acrescentando que "na ausência de uma resposta positiva", os catalães "estarão prontos para uma convocação durante a segunda quinzena de setembro do próximo ano".

O presidente da comunidade autónoma da Catalunha ("Generalitat") fez estas declarações no parlamento regional, no primeiro dia do debate sobre a moção de confiança ao seu governo.

Os partidos que lutam pela independência da Catalunha aprovaram em meados do corrente ano um plano para alcançar a independência da Comunidade Autónoma da Catalunha, depois de ganharem em eleições regionais realizadas em 2016, mas desde então têm-se mostrado muito divididos por razões ideológicas.

A coligação pró-independência que governa a Catalunha desfez-se em junho último quando o seu partido mais radical, a CUP (Candidatura de Unidade Popular, de extrema esquerda), recusou apoiar o orçamento regional para 2016, o que obrigou Carles Puigdemont a pedir um "voto de confiança" que será votado na quinta-feira.

A CUP tem dito que defende a formação novamente da coligação pró-independentista e que iria mesmo apoiar Puigdemont, mas que isso seria possível apenas em troca da organização de um referendo do tipo daquele que foi realizado na Escócia (Reino Unido) no ano passado.

Lusa

  • Artur Mas rejeita acusações de desobediência por ter apoiado referendo à independência da Catalunha
    0:35

    Mundo

    O presidente do Governo regional da Catalunha foi hoje ouvido em tribunal. Artur Mas é acusado dos crime de desobediência, abuso de autoridade e de usurpar a autoridade por ter organizado um referendo sobre a independência na região no ano passado. Milhares de pessoas apoiaram o governante à chegada e à saída do Supremo tribunal da Catalunha, em Barcelona. Muitos tinham bandeiras da região e gritavam "Independência" à medida que Mas percorria os últimos metros até chegar ao tribunal. A acusação diz que o presidente do governo da Catalunha apoiou e organizou um referendo que viola a Constituição espanhola. Artur Mas garante que nada fez que viole a lei espanhola, mas admite que apoiou a iniciativa.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.