sicnot

Perfil

Mundo

Tufão Megi causou um morto na China, após deixar rasto de destruição em Taiwan

Tufão Megi causou um morto na China, após deixar rasto de destruição em Taiwan

O tufão Megi atingiu hoje o continente chinês, causando um morto, informou a imprensa estatal, depois de ter deixado um rastro de destruição e quatro mortos na ilha de Taiwan.

A passagem do tufão por Taiwan, na terça-feira, deixou mais de 500 feridos, incluindo oito turistas japoneses, cujo autocarro foi arrastado pelo vento. Um dos turistas encontra-se em estado grave.


O Megi dirigiu-se hoje ao continente chinês, com ventos de 120 quilómetros por hora e chuva torrencial, de acordo com a agência oficial Xinhua.

Os jornais da província de Fujian, na costa leste da China, informaram que um homem morreu, após uma súbita inundação ter atingido a sua casa.

As escolas foram encerradas em toda a província e as ligações ferroviárias suspensas, refere a Xinhua.

Mas os maiores danos ocorreram em Taiwan, onde as escolas e empresas na maioria das cidades continuam fechadas, depois de o tufão ter provocado desmoronamentos e inundações, forçando o encerramento de inúmeras estradas.

Os quatro mortos incluem um homem que caiu de um andaime, devido ao vento, e um adolescente de 17 anos, que se afagou, após o seu barco virar.

O Megi provocou ainda cortes no fornecimento de energia elétrica em mais de 3,12 milhões de casas e paralisou quase totalmente os transportes, com o cancelamento de 426 voos, 122 viagens de barco e de inúmeras ligações ferroviárias, de acordo com o mesmo organismo.

O vento derrubou uma estátua gigante e provocou a queda de andaimes em edifícios em construção, postes, centenas de árvores, e arrastou viaturas, incluindo autocarros, e contentores em toda a ilha.

Os deslizamentos de terra e lama multiplicaram-se, em particular nas zonas montanhosas.

Cerca de 4.300 pessoas foram realojadas em abrigos temporários.

Com Lusa

  • Aviação russa matou mais de 11 mil pessoas na Síria

    Mundo

    Pelo menos 11.612 pessoas morreram na Síria em resultado dos bombardeamentos da aviação russa, aliada do Governo de Damasco, iniciados em 30 de setembro de 2015, de acordo com dados publicados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

  • Mais de 500 casos de sarampo na Europa este ano, avisa OMS

    Mundo

    Mais de 500 casos de sarampo foram reportados só este ano na Europa, afetando pelo menos sete países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do vírus do sarampo no verão do ano passado.