sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas criam o primeiro mapa global sobre diversidade genética na Terra

Um grupo de cientistas da Universidade de Copenhaga dirigidos pelo espanhol David Nogués-Bravo elaborou o primeiro mapa global de diversidade genética no planeta, que é maior nos trópicos e nas áreas com menor impacto humano.

O estudo, publicado hoje na revista Science, baseia-se na análise de quase 93.000 sequências genéticas de mais de 4.500 espécies de mamíferos terrestres e anfíbios, retiradas das bases de dados públicas e dando-lhes coordenadas geográficas.

"Nunca tínhamos tido uma visão global sobre a distribuição da diversidade biológica, não a nível de espécies, mas de genética. É como se fosse o primeiro telescópio e estivéssemos a descobrir as primeiras constelações", explicou Nogués-Bravo, professor associado do Centro de Macroecologia, Evolução e Clima.

A investigação revela duas conclusões, nomeadamente que é nas regiões tropicais onde há maior diversidade genética e que a atividade humana reduziu aquela diversidade, expondo os animais a um risco mais alto de extinção.

A diversidade genética está unida à capacidade de adaptação às mudanças pelo que, em teoria, os trópicos estão melhor preparados para os enfrentar do que as zonas polares, onde a variedade é menor.

"Temos indicações de uma espécie aqui e ali, mas não há um padrão global. Os trópicos são como as arcas da diversidade genética", afirmou o investigador espanhol.

Os dados analisados mostram também que os mamíferos e anfíbios que vivem nas áreas que sofreram mais alterações provocadas pelos humanos são as que têm menor diversidade genética e mais dificuldades em adaptarem-se às mudanças do meio ambiente.

Apesar da grande quantidade de material genético, as bases de dados públicas carecem de mais coordenadas.

Os investigadores usaram referências geográficas ou toponímicas incluídas no material para averiguar as coordenadas através de algoritmos, mas o resultado final apenas representa cerca de 35% de todo o conhecimento sobre sequências genéticas.

Por isso é necessário melhorar as estratégicas para classificar dados e desenvolver algoritmos de pesquisa de dados para referenciar geograficamente os milhões de sequências disponíveis, adverte o estudo.

"No fundo, continuamos a saber muito pouco da biodiversidade do planeta", admitiu Nogués-Bravo, ressalvando que o estudo inclui outro mapa batizado como o da "ignorância".

A maioria do conhecimento existente vem da Europa Ocidental, América do Norte e Extremo Oriente, enquanto nas zonas como os trópicos, onde há mais variedade genética, temos menos conhecimentos.

A elaboração do mapa vai permitir compreender como funcionam os mecanismos que controlam o número de espécies, avaliar a capacidade para se adaptarem às mudanças e defender a biodiversidade.

"O passo seguinte é perceber onde vamos perder mais diversidade genética devido às alterações climáticas. Já estamos a trabalhar nisso", explicou Nogués-Bravo.

Lusa

  • Atentados na Catalunha estão relacionados, 14 mortos

    Ataque em Barcelona

    Uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Espanha, depois do atentado de ontem que fez 13 mortos em Barcelona. As operações de busca centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "Nas Ramblas, é como se nada tivesse acontecido"
    1:35

    Ataque em Barcelona

    Um atentado terrorista em Barcelona matou 13 pessoas e feriu cerca de 100. O ataque aconteceu na zona das Ramblas, quando uma carrinha avançou sobre quem circulava nessa grande via no centro da capital da Catalunha. O repórter Emanuel Nunes está em Barcelona e deu conta do regresso à normalidade nas Ramblas, logo às primeiras horas da manhã.

  • Barcelona abalada pelo terrorismo
    1:03
  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.