sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas criam o primeiro mapa global sobre diversidade genética na Terra

Um grupo de cientistas da Universidade de Copenhaga dirigidos pelo espanhol David Nogués-Bravo elaborou o primeiro mapa global de diversidade genética no planeta, que é maior nos trópicos e nas áreas com menor impacto humano.

O estudo, publicado hoje na revista Science, baseia-se na análise de quase 93.000 sequências genéticas de mais de 4.500 espécies de mamíferos terrestres e anfíbios, retiradas das bases de dados públicas e dando-lhes coordenadas geográficas.

"Nunca tínhamos tido uma visão global sobre a distribuição da diversidade biológica, não a nível de espécies, mas de genética. É como se fosse o primeiro telescópio e estivéssemos a descobrir as primeiras constelações", explicou Nogués-Bravo, professor associado do Centro de Macroecologia, Evolução e Clima.

A investigação revela duas conclusões, nomeadamente que é nas regiões tropicais onde há maior diversidade genética e que a atividade humana reduziu aquela diversidade, expondo os animais a um risco mais alto de extinção.

A diversidade genética está unida à capacidade de adaptação às mudanças pelo que, em teoria, os trópicos estão melhor preparados para os enfrentar do que as zonas polares, onde a variedade é menor.

"Temos indicações de uma espécie aqui e ali, mas não há um padrão global. Os trópicos são como as arcas da diversidade genética", afirmou o investigador espanhol.

Os dados analisados mostram também que os mamíferos e anfíbios que vivem nas áreas que sofreram mais alterações provocadas pelos humanos são as que têm menor diversidade genética e mais dificuldades em adaptarem-se às mudanças do meio ambiente.

Apesar da grande quantidade de material genético, as bases de dados públicas carecem de mais coordenadas.

Os investigadores usaram referências geográficas ou toponímicas incluídas no material para averiguar as coordenadas através de algoritmos, mas o resultado final apenas representa cerca de 35% de todo o conhecimento sobre sequências genéticas.

Por isso é necessário melhorar as estratégicas para classificar dados e desenvolver algoritmos de pesquisa de dados para referenciar geograficamente os milhões de sequências disponíveis, adverte o estudo.

"No fundo, continuamos a saber muito pouco da biodiversidade do planeta", admitiu Nogués-Bravo, ressalvando que o estudo inclui outro mapa batizado como o da "ignorância".

A maioria do conhecimento existente vem da Europa Ocidental, América do Norte e Extremo Oriente, enquanto nas zonas como os trópicos, onde há mais variedade genética, temos menos conhecimentos.

A elaboração do mapa vai permitir compreender como funcionam os mecanismos que controlam o número de espécies, avaliar a capacidade para se adaptarem às mudanças e defender a biodiversidade.

"O passo seguinte é perceber onde vamos perder mais diversidade genética devido às alterações climáticas. Já estamos a trabalhar nisso", explicou Nogués-Bravo.

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.