sicnot

Perfil

Mundo

Português raptado em Luanda fala dos momentos de terror que viveu

O português que esteve mais de três dias raptado em Luanda, sob ameaça de morte e com um pedido de pagamento de um resgate de três milhões de dólares, contou momentos de terror que viveu durante o cativeiro.

Os testemunhos surgem em imagens recolhidas pela Polícia Nacional, cedidas hoje à agência Lusa e recolhidas na casa nos arredores de Luanda onde o português e um cabo-verdiano estiveram vários dias fechados, num quarto escuro, mas também dos momentos seguintes à libertação, com o próprio ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, a reconfortar as vítimas.

"Pensei que me estava a despedir da vida quando ouço os primeiros impactos da polícia. Conseguia ver pelo buraco pela fechadura e ouvi o estrondo da polícia a entrar. Senti uma tranquilidade tremenda quando vejo o colete da polícia e leio as letras da DNIC [Direção Nacional de Investigação Criminal], senti que estava salvo. É aquilo que tenho mais presente", conta, nas imagens, António Cruz, 50 anos e administrador, em Luanda, da empresa SIAP.

O português e o cabo-verdiano foram raptados na via pública no sul de Luanda, entre os dias 19 e 20 de setembro, por cinco elementos munidos de metralhadoras. Dois nigerianos e um da República Democrática do Congo foram detidos na operação especial lançada na sexta-feira passada pela Polícia Nacional, envolvendo várias unidades e que permitiu libertar as duas vítimas.

"Ameaçaram-me, pediram-me dinheiro. Diziam que alguém me tinha mandado matar e para me deixarem com vida tinha de dar três milhões de dólares. Não me agrediram muito, não foram muito agressivos do ponto de vista físico", disse o português, ainda nas declarações recolhidas e difundidas pela polícia.

Conta que esteve sempre fechado num quarto escuro e sob ameaça de metralhadoras AKM e recorda igualmente, emocionado, o "sentimento de vitória" dos elementos da polícia envolvidos na operação de extração que, sendo rara em Angola, foi também, segundo o comando, autorizada superiormente, tendo em conta os riscos envolvidos.

"Foi uma felicidade, senti a alegria dos policiais que concretizaram a operação de resgate com êxito", dizia António Cruz nas imagens da polícia, ainda combalido dos dias de cativeiro, enquanto o próprio ministro do Interior o conforta, pedindo confiança nas autoridades.

Este mesmo grupo de estrangeiros é suspeito de ter realizado outros cinco raptos em Luanda, também de estrangeiros, desde o início do ano.

Durante a operação, que segundo a polícia decorreu sem ter sido feito qualquer disparo além do arrombamento das portas e da surpresa provocada nos raptores, foram ainda apreendidas cinco metralhadoras AKM, 15 carregadores municiados e 10 milhões de kwanzas (54 mil euros) em dinheiro.

Lusa

  • Português esteve raptado durante três dias em Luanda

    Mundo

    Um português de 50 anos esteve três dias raptado em Luanda, juntamente com um cabo-verdiano, com os sequestradores a usarem violência e a pedirem à família um resgate de três milhões de dólares, anunciou a polícia angolana esta quarta-feira.

  • "Não vou ceder, não vou render-me, não vou desistir da candidatura"
    2:02
  • Obama, Presidente francês?
    1:55

    Mundo

    A resposta é óbvia, mas não demoveu quatro franceses, descontentes com os candidatos às Presidenciais no seu país. A ideia começou como brincadeira, mas já recolheu 43 mil assinaturas. 

  • Trump apanhado a ensaiar no carro
    1:08
  • Mulheres democratas de branco para mostrar que não abdicam dos diretos conquistados

    Mundo

    Uma "mancha branca" sobressaiu esta terça-feira no Congresso norte-americano, durante o primeiro discurso de Donald Trump. A maioria das 66 mulheres representantes e delegadas do Partido Democrata vestiram-se de branco, num ato simbólico a fazer recordar o movimento sufragista feminino, que encorajava as apoiantes a vestirem-se de branco. Tal como então, a cor da pureza foi agora recuperada, desta feita para mostrar a Trump que as mulheres não abdicam dos direitos conquistados no início do século XX.

  • Treinador do "The Biggest Loser" teve ataque cardíaco

    Mundo

    Foi o próprio Bob Harper que partilhou a notícia no seu Instagram. O ex-treinador do famoso programa de televisão sofreu um ataque cardíaco enquanto treinava no ginásio. Esteve oito dias internado mas, felizmente, já está em casa a recuperar.

  • Prisões recebem manual para lidar com fugas
    2:07

    País

    O Governo vai fazer o maior investimento de sempre nos serviços prisionais. São 2.600 milhões de euros para reforçar a segurança nas prisões. Entretanto. já foi distribuído um manual de procedimentos em caso de fuga.