sicnot

Perfil

Mundo

Presidente da Turquia sugere manter estado de emergência por um ano

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, sugeriu esta quinta-feira que pode ser necessário manter por pelo menos um ano o estado de emergência decretado após a tentativa de golpe de Estado de julho.

As declarações de Erdogan foram feitas um dia depois de ter presidido a uma reunião do principal órgão de segurança nacional turco, que pediu que o estado de emergência, que expira em outubro, seja prolongado.

"Foi constatado que um período de três meses não é suficiente. É do interesse da Turquia prolongar o estado de emergência por mais três meses", disse Erdogan, numa declaração transmitida pela televisão.

"Talvez 12 meses não sejam suficientes", acrescentou.

O estado de emergência constitui o fundamento legal para a vaga de repressão empreendida pelo Estado turco contra os alegados autores e cúmplices da tentativa de golpe de 15 de julho, orquestrada, segundo Erdogan, pelo pregador muçulmano Fethullah Gulen, que nega qualquer relação com os factos.

O ministro da Justiça, Bekir Bozdag, disse na quarta-feira que até ao momento 32.000 suspeitos estão sob custódia por alegadas ligações a Gulen.

Recep Tayyip Erdogan justificou a necessidade do estado de emergência com o combate ao ilegalizado Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e à organização de Gulen, que Ancara designa como FETO.

O Presidente defendeu ainda o prolongamento do estado de exceção citando medidas semelhantes tomadas pelo Governo de França após os atentados de novembro em Paris.

"Alguém no mundo pergunta a França porque declarou o estado de emergência por um ano?", questionou.

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.