sicnot

Perfil

Mundo

Presidente filipino compara-se a Hitler e diz que quer matar 3 milhões de toxicodependentes

O Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, comparou-se hoje ao ditador Adolf Hitler e afirmou que quer matar os três milhões de toxicodependentes que diz existirem no país.

"Hitler massacrou três milhões de judeus. Agora, há aqui três milhões de viciados. Gostaria de matá-los a todos", afirmou Duterte, aos jornalistas, de acordo com uma transcrição disponibilizada pela presidência.

"Se a Alemanha tinha Hitler, as Filipinas terão as minhas vítimas", frisou o Presidente filipino, no regresso de uma visita oficial de dois dias ao Vietname, afirmando que "gostaria que fossem todos os criminosos para acabar com o problema" e "salvar a próxima geração da perdição".

Duterte voltou ainda a lançar farpas aos Estados Unidos e à União Europeia pelas críticas à sua violenta campanha contra a droga que, segundo dados oficiais, deixou mais de 3.500 mortos desde o dia 30 de junho, quando tomou posse.

"Estados Unidos e União Europeia podem chamar-me o que quiserem, mas nunca gostei da hipocrisia como vocês", disse o chefe de Estado filipino, criticando a resposta à crise dos refugiados sírios.

"Fecham as vossas portas, é inverno e eles são imigrantes a fugir do Médio Oriente. Vocês permitem que apodreçam, mas estão preocupados com a morte de 1.000, 2.000 ou 3.000 pessoas?", questionou.

Nas últimas semanas, Duterte tem criticado abertamente os Estados Unidos, a União Europeia e as Nações Unidas depois de todos terem condenado a violação dos direitos humanos que representa a campanha contra a droga.

Além disso, o Presidente filipino recusou reunir-se com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, qualificou as Nações Unidas de organização "inútil" e ameaçou retirar as Filipinas da mesma.

Duterte ganhou folgadamente as eleições presidenciais com a promessa de acabar com a droga e a delinquência nos primeiros seis meses de mandato.

Desde então, instou, por inúmeras vezes, a polícia e os próprios cidadãos a matar traficantes e consumidores de droga.

Lusa

  • Presidente das Filipinas manda a UE "para um sítio"
    1:29

    Mundo

    O Presidente das Filipinas voltou a fazer das suas. Depois de ter insultado Barack Obama, Rodrigo Duterte disse à UE "que se f..." ao ser criticado sobre resolução. O Presidente exige respeito da União Europeia. Contudo, não poupa críticas aos eurodeputados que aprovaram uma resolução contra o tráfico ilegal de drogas e que aponta o exemplo filipino como à margem da lei.

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.