sicnot

Perfil

Mundo

Sonda Rosetta termina odisseia espacial de 12 anos ao despenhar-se em cometa

Desenho da sonda Rosetta a aproximar-se do cometa 67P

ESA/ATG medialab/Rosetta/NavCam

A sonda espacial europeia Rosetta realizou hoje a sua última missão: o impacto controlado contra o cometa 67P, terminando como previsto uma odisseia no espaço de 12 anos.

A Agência Espacial Europeia (ESA) confirmou hoje o final bem-sucedido da missão Rosetta. Foi com aplausos que o anúncio foi feito a partir do Centro europeu de Operações Espaciais (ESOC) em Darmstadt, na Alemanha.

Eram 12:19 em Portugal quando a Rosetta aterrou no cometa que estudava há dois anos.

"Está feito. Posso confirmar o pleno sucesso da aterragem da Rosetta. As operações da missão Rosetta estão concluídas", disse o responsável das operações de voo Patrick Martin.

Local de aterragem da Rosetta no cometa 67P

Local de aterragem da Rosetta no cometa 67P

ESA

Nas horas que antecederam a queda controlada, a Rosetta recolheu os seus últimos dados: analisando a névoa gasosa do cometa, medindo a temperatura e a gravidade e tirando fotografias a curta distância do ponto que viria a ser o seu local de repouso.

A sonda foi programada para um "impacto controlado", a uma velocidade de 90 centímetros por segundo (velocidade de um humano a andar a passo), mas depois de uma queda livre de uma altitude de 19 quilómetros, que durou 14 horas.

A última manobra da Rosetta foi executada a uma distância de 720 milhões de quilómetros da Terra, e com o cometa a mover-se a uma velocidade de superior a 14 quilómetros por segundo.

A sonda nunca foi projetada para aterrar. A primeira missão para orbitar e aterrar num cometa foi aprovada em 1993 e visava investigar o nascimento do sistema Solar, há 4,6 mil milhões de anos.

A última fotografia tirada pela Rosetta ao cometa 67P a 51 metros de altitude

A última fotografia tirada pela Rosetta ao cometa 67P a 51 metros de altitude

ESA

A sonda Rosetta junta-se ao robô Philae, transportado pela sonda e que alcançou um feito histórico ao conseguir fazer pela primeira vez uma aterragem num comenta.

A Rosetta e a sonda de aterragem Philae viajaram mais de 6,4 mil milhões de quilómetros, ao longo de 10 anos, até alcançar o 67P em agosto de 2014.

A Philae desceu até à superfície do cometa em novembro de 2014, saltando várias vezes e enviando depois 60 horas de dados recolhidos na superfície. Depois entrou em modo "standby".

O cometa descreve uma elipse em torno do sol de 6,6 anos, tendo chegado ao ponto mais próximo do Sol em agosto do ano passado.

Em vez de deixar a Rosetta adormecer no espaço, os cientistas da missão optaram por terminar em grande, recolhendo os últimos dados mais perto do cometa antes de deixar embater a sonda.

Com Lusa

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.