sicnot

Perfil

Mundo

Tufão Megi causa três mortos e 20 desaparecidos na China

Pelo menos três pessoas morreram e 20 estão desaparecidas no leste da China na sequência de um deslizamento de terras provocado na quarta-feira pelo tufão Megi, informou a imprensa oficial.

O deslizamento de 400.000 metros cúbicos de terra, na localidade de Sucun, província de Zhejiang, a partir de montanhas próximas a um vale onde estavam 40 casas, enterrou completamente metade das habitações.

As equipas de resgate encontraram, até agora três corpos, e quinze pessoas foram encontradas com vida durante os trabalhos de salvamento. Entre os mortos há uma mulher de 60 anos e uma criança de seis.

Vinte pessoas continuam desaparecidas sob os escombros.

Cerca de 1.400 habitantes da aldeia foram levados para outras áreas, enquanto 2.200 pessoas participam dos trabalhos de resgate.

Também na província de Zhejiang, seis pessoas desapareceram na aldeia de Baofeng, depois de um outro deslizamento de terras ter enterrado várias habitações.

O tufão Megi causou também inundações em amplas áreas junto à costa do sul e leste da China, sobretudo nas províncias de Zhejiang e Fujian.

Antes de chegar à China, o tufão Megi passou por Taiwan, tendo causado quatro mortos, mais de 600 feridos, quase 15.000 deslocados e grandes danos nas infraestruturas da ilha.

Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.