sicnot

Perfil

Mundo

Presidenciais em Cabo Verde registam maior taxa de abstenção na história do país

As eleições presidenciais deste domingo em Cabo Verde registaram uma taxa de abstenção de 63,6%, a mais alta da história eleitoral do país, segundo os dados provisórios.

De acordo com resultados provisórios divulgados no site oficial sobre as eleições presidenciais (www.eleicoes.gov.cv), quando estavam contabilizadas 90% das 1.265 mesas de voto, a taxa de abstenção situava-se em 63,6 por cento, a maior a nível de todas as eleições (presidenciais, legislativas e autárquicas) realizadas no país, seis de cada em 25 anos.

De acordo com os dados provisórios, Jorge Carlos Fonseca foi reeleito Presidente da República de Cabo Verde à primeira volta, com 74% dos votos, à frente de Albertino Graça (22,6%) e Joaquim Monteiro (3,4%).

Nas primeiras eleições presidenciais democráticas realizadas em Cabo Verde, em 1991, a taxa de abstenção foi de 38,6%, a menor ao nível das presidenciais.

Nessas eleições, António Mascarenhas Monteiro foi eleito pela primeira vez, ao derrotar o então presidente Aristides Pereira, ambos já falecidos.

Cinco anos mais tarde, 54,3% dos cabo-verdianos não foram às urnas, no escrutínio que reelegeu António Mascarenhas Monteiro, que desta vez concorreu sozinho.

Nas duas vezes que que Pedro Pires foi eleito chefe de Estado cabo-verdiano, a abstenção situou-se nos 48,3% na 1ª volta e 41,04% na 2ª volta, em 2001, e nos 41 por cento em 2006.

Há cinco anos, Jorge Carlos Fonseca foi eleito numa votação que teve 46,3 por cento de abstenção na primeira volta e 54,3 por cento na segunda volta, que igualou a maior taxa até agora nas presidenciais do país.

Ao nível das legislativas, a maior taxa de abstenção situa-se nos 45,8 por cento, registada no escrutínio realizado em 2006, e a menor em 23,98%, obtida em 2011.

Já nas autárquicas, a eleição em que a maior parte dos cabo-verdianos não foi às urnas (45,6%) foi nas primeiras, realizadas em 1991.

Relativamente à história eleitoral do país, a menor taxa de abstenção foi de 19,45 por cento, registada nas eleições autárquicas de 18 de maio de 2008.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.