sicnot

Perfil

Mundo

Assaltantes levam joias de Kim Kardashian no valor de milhões de euros

© Eduardo Munoz / Reuters

A estrela da televisão norte-americana Kim Kardashian foi no domingo alvo de um ataque à mão armada num hotel em Paris por homens disfarçados de polícias, mas está bem, anunciou a sua porta-voz.


"Ela está bastante abalada, mas saiu ilesa", disse a porta-voz da celebridade, pouco depois de o marido, o cantor Kanye West, ter interrompido um concerto em Nova Iorque, nos Estados Unidos, devido a uma "emergência familiar".

Kim Kardashian, de 35 anos, foi vítima de um roubo estimado em milhões de euros, principalmente de joias, segundo a polícia.

"O prejuízo é de vários milhões de euros, e inclui sobretudo joias. O valor total ainda está em avaliação", disse a polícia da capital francesa.

Kim Kardashian estava em Paris para a 'Fashion Week'.

"Dois homens armados e mascarados" irromperam pelo seu quarto de hotel e agarraram-na com uma arma", explicou a sua porta-voz.

Enquanto isso, em Nova Iorque, Kanye West que cantava no festival The Meadows, anunciou o fim do espetáculo.

"Lamento, mas o concerto acabou", disse antes de abandonar o palco.

Um responsável do festival explicou mais tarde que o cantor saiu por causa de uma "urgência familiar".

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.