sicnot

Perfil

Mundo

Atriz nigeriana banida da indústria cinematográfica por abraçar cantor em vídeo

Rahma Sadau foi banida da Indústria Cinematográfica da Nigéria, por abraçar o cantor Classiq num vídeo." Segundo o representante da Hausa-language, este foi um "comportamento imoral e rebelde" que obrigou a indústria a demitir a atriz nigeriana.

Conhecida por Kannywood, a Indústria Cinematográfica da Nigéria tem recebido muitas reclamações por parte do clérigo muçulmano conservador. Acusam a indústria de corromper os valores das pessoas, considerando um tabu afetos entre casais em público, tais como beijar ou andar de mão dada.

 Rahma Sadau e Classiq no vídeo "I Love You"

Rahma Sadau e Classiq no vídeo "I Love You"

Sadau participou no videoclip da música "I Love You" do cantor de pop Classiq. No vídeo, os dois dão as mãos e abraçam-se, o que vai contra aquilo que o clérigo defende.

A proibição de Sadau em participar em filmes nigerianos é vista como um exemplo a dar. Muitos defendem que a ação da atriz foi "longe de mais" e deve ser condenada.

Veja aqui o videoclip:

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.