sicnot

Perfil

Mundo

Diário de prisão de Luaty Beirão será publicado em novembro

O diário de prisão do ativista luso-angolano Luaty Beirão será publicado pela Tinta-da-China no final de novembro, disse esta segunda-feira à agência Lusa a diretora editorial, Bárbara Bulhosa.

"Vou publicar no fim de novembro o diário de prisão, aquilo que o Luaty escreveu enquanto esteve preso, embora não tenhamos todos os cadernos que ele escreveu, porque alguns ficaram retidos pelos guardas prisionais e ele não consegue recuperá-los", indicou.

Luaty Beirão foi um dos 17 ativistas detidos em junho de 2015 em Luanda e condenados em março deste ano pela justiça angolana a penas de prisão entre dois anos e três meses e oito meses e meio por "rebelião e associação de malfeitores", provisoriamente libertados em junho e depois abrangidos por uma amnistia geral.

O diário do ativista de 34 anos, uma das vozes mais críticas do regime angolano liderado por José Eduardo dos Santos contém, por exemplo, "listas do que ele precisava para comer, porque na prisão -- e ele esteve em várias --, não aceitava nenhuma comida dada pelos guardas prisionais, por haver um grande risco de ser envenenado", revelou a editora.

"Ele só comia aquilo que a família lhe levava - e que tinha de poupar muito - e descreve as celas, os ratos nas celas, a vida na solitária, o que ouvia nas outras celas... É muito impressionante o relato dele", observou.

Além do diário original, o livro incluirá também uma longa entrevista do Carlos Vaz Marques ao 'rapper' e engenheiro eletrotécnico luso-angolano, a solução considerada pela editora "a mais interessante para contar a história do Luaty".

"Na entrevista, o Luaty vai relatar o resto, aquilo que não está no diário, desde o processo à prisão, à greve da fome e, agora, a esta amnistia e àquilo que ele quer fazer no futuro com o que se tornou -- porque se tornou, de facto, o símbolo da libertação de Angola", frisou Bárbara Bulhosa.

Lusa

  • Luaty relata detenção e fala em agressões da polícia angolana
    2:12

    Mundo

    O ativista luso-angolano Luaty Beirão foi hoje detido em Luanda durante algumas horas, juntamente com outros sete ativistas em frente a uma prisão em Luanda, quando tentavam visitar o ativista Francisco Gomes Mapanda. A SIC falou com o próprio Luaty Beirão, o ativista angolano que hoje voltou a ser detido enquanto aguardava pela hora da visita na cadeia de Viana. Luaty Beirão relata o que se passou esta tarde, mostra-se confuso e indignado com mais este episódio de agressões por parte da polícia angolana.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Marcelo comenta comparação de Centeno a Ronaldo

    País

    O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, comentou esta quarta-feira a comparação que o ministro das Finanças alemão terá feito entre Mário Centeno e Ronaldo, considerando que "quem quer que disse isso, por uma vez não pensou mal".