sicnot

Perfil

Mundo

Falta de credibilidade dos políticos afasta eleitores das municipais do Brasil

© Reuters

O número de votos nulos, brancos e de abstenções nas eleições municipais do Brasil bateu o recorde nas maiores cidades. A falta de credibilidade dos políticos afastou muitos eleitores das urnas no último domingo.

Em São Paulo, 3.096.299 de pessoas não escolheram nenhum candidato, número maior do que os votos obtidos pelo candidato vencedor da eleição, João Dória Júnior do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que teve um total de 3.085.187 votos.

No Rio de Janeiro, houve 1.866.621 votos brancos, nulos e abstenções, quantidade muito maior do que a soma obtida pelos dois candidatos que disputam a segunda volta, Marcelo Crivella do Partido Republicano Brasileiro (PRB), que teve 842.201 votos, e Marcelo Freixo do Partido Socialismo e Liberdade (Psol), que recebeu 553.424 votos.

Em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, 741.915 pessoas não votaram em nenhum candidato, superando também a soma de João Leite do PSDB, com 395.952 votos, e Alexandre Kalil do Partido Humanista da Solidariedade (PHS), com 314.845 votos, que também disputarão a segunda volta.

Informações divulgadas esta segunda-feira pelo jornal Valor Económico reforçam a perceção de que estas três cidades representam uma tendência geral em todas as cidades brasileiras, tendo em vista que a quantidade de votos brancos, nulos e abstenções cresceu 23% em comparação com as eleições realizadas em 2012.

Segundo dados divulgados hoje pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mais de 25 milhões de eleitores não compareceram às urnas no domingo para votar, enquanto na última eleição municipal este número foi de 22 milhões.

Os estados brasileiros do Rio de Janeiro, com 21,54%, Rondônia (20,99%), São Paulo (20,73%) e Mato Grosso (20,63%) registraram as maiores percentagens de eleitores faltosos.

No país, onde o voto é obrigatório, a falta de participação da população no processo eleitoral é um reflexo de uma longa crise de representação agravada pelo envolvimento de políticos em esquemas de corrupção, principalmente nos casos da Petrobras, que têm sacudido a opinião pública nos últimos dois anos.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsus em maio mostrou que 78% dos brasileiros não confia nos políticos em geral e 77% não confia em nenhum partido político.

A mesma pesquisa indicou que 61% da população acha que a corrupção no Brasil é culpa do povo que elege políticos corruptos.

Lusa

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.