sicnot

Perfil

Mundo

Falta de credibilidade dos políticos afasta eleitores das municipais do Brasil

© Reuters

O número de votos nulos, brancos e de abstenções nas eleições municipais do Brasil bateu o recorde nas maiores cidades. A falta de credibilidade dos políticos afastou muitos eleitores das urnas no último domingo.

Em São Paulo, 3.096.299 de pessoas não escolheram nenhum candidato, número maior do que os votos obtidos pelo candidato vencedor da eleição, João Dória Júnior do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que teve um total de 3.085.187 votos.

No Rio de Janeiro, houve 1.866.621 votos brancos, nulos e abstenções, quantidade muito maior do que a soma obtida pelos dois candidatos que disputam a segunda volta, Marcelo Crivella do Partido Republicano Brasileiro (PRB), que teve 842.201 votos, e Marcelo Freixo do Partido Socialismo e Liberdade (Psol), que recebeu 553.424 votos.

Em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, 741.915 pessoas não votaram em nenhum candidato, superando também a soma de João Leite do PSDB, com 395.952 votos, e Alexandre Kalil do Partido Humanista da Solidariedade (PHS), com 314.845 votos, que também disputarão a segunda volta.

Informações divulgadas esta segunda-feira pelo jornal Valor Económico reforçam a perceção de que estas três cidades representam uma tendência geral em todas as cidades brasileiras, tendo em vista que a quantidade de votos brancos, nulos e abstenções cresceu 23% em comparação com as eleições realizadas em 2012.

Segundo dados divulgados hoje pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mais de 25 milhões de eleitores não compareceram às urnas no domingo para votar, enquanto na última eleição municipal este número foi de 22 milhões.

Os estados brasileiros do Rio de Janeiro, com 21,54%, Rondônia (20,99%), São Paulo (20,73%) e Mato Grosso (20,63%) registraram as maiores percentagens de eleitores faltosos.

No país, onde o voto é obrigatório, a falta de participação da população no processo eleitoral é um reflexo de uma longa crise de representação agravada pelo envolvimento de políticos em esquemas de corrupção, principalmente nos casos da Petrobras, que têm sacudido a opinião pública nos últimos dois anos.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Ipsus em maio mostrou que 78% dos brasileiros não confia nos políticos em geral e 77% não confia em nenhum partido político.

A mesma pesquisa indicou que 61% da população acha que a corrupção no Brasil é culpa do povo que elege políticos corruptos.

Lusa

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Hospitais já registam picos de afluência apesar de casos de gripe serem ainda poucos
    2:13

    País

    A gripe ainda não chegou em força, mas nos últimos dias foram vários os hospitais com grande afluências de doentes, sobretudo idosos e com infeções respiratórias. Em alguns dias desta semana o número de doentes disparou para mais de 600, como disse à SIC o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.