sicnot

Perfil

Mundo

Impressão a 3D promete acabar com calvície

Reuters

Uma nova tecnologia promete pôr fim à calvície. Através da bioimpressão - impressão a 3D na medicina -, o processo permite obter um folículo capilar vivo, capaz de produzir cabelo.

A tecnologia é o resultado de uma parceria entre o grupo francês L'Oréal com a startup de biotecnologia Poietis e consiste no uso de lasers para a bioimpressão de tecidos humanos como o folículo capilar.

"A ideia é conseguir algo que não foi realizado até agora: bioimprimir um minúsculo órgão, o folículo, em vez de imprimir cabelo", conta a responsável da L'Oréal Patricia Pineau.

A impressora posiciona células em três dimensões de forma detalhada e forma camadas de células minúsculas para criar tecido vivo.

As experiências com engenharia de tecidos humanos têm vindo a ser feitas há já alguns anos. Por todo o mundo, cerca de dez equipas fazem pesquisa sobre o crescimento do cabelo, do Reino Unido à Rússia, japão e Estados Unidos.

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.