sicnot

Perfil

Mundo

Furacão Matthew causa primeiras vítimas ao atravessar as Caraíbas

O furacão Matthew, considerado uma das mais ameaçadoras tempestades dos últimos dez anos, causou as primeiras vítimas ao atravessar as Caraíbas, deixando um morto e um desaparecido no Haiti, informaram as autoridades na segunda-feira.

Mais de duas mil pessoas foram deslocadas para abrigos temporários na região de Grand Sud ao início da noite. Durante o dia, a proteção civil enfrentou dificuldades, com alguns residentes a recusarem deixar as suas casas em zonas vulneráveis, incluindo no pobre e densamente habitado bairro de Cité Soleil - onde 100 mil dos 500 mil residentes enfrentam risco de inundações - e em Cité L'Eternel, junto ao mar, na capital (Port-au-Prince).

Ventos fortes atingiram a costa sul do país mais pobre das Américas, onde habitações e edifícios frágeis deixam os residentes particularmente expostos a desastres naturais.

Os níveis da água do mar continuam a subir no sul do Haiti, na ilha de Hispaniola. Em Cayes, a terceira cidade, a água já chegava ao nível da rua, impulsionada pelas fortes chuvas.

Perante o risco de cheias, 43 detidos na prisão de Miragoane foram transferidos para Fond-des-Negres, no interior.

Inundações foram também registadas na Jamaica, com a tempestade de categoria 4 na escala Saffir-Simpson, de cinco níveis, a aproximar-se do sul.

Em Cuba foram retiradas 316 mil pessoas do leste da ilha.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.