sicnot

Perfil

Mundo

Presidente da Colômbia anuncia nova fase de diálogo com as FARC

O Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, anunciou na segunda-feira uma nova fase no diálogo com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), apesar da inesperada rejeição do acordo de paz em referendo, no domingo.

"Solicitei a Humberto de la Calle, que confirmei como negociador chefe (...), que começasse discussões que nos permitam abordar todos os temas necessários para conduzir a um acordo e ao sonho de toda a Colômbia de acabar com a guerra com as FARC", afirmou Santos, durante um discurso televisivo, transmitido na noite de segunda-feira.

"Isso [a rejeição do acordo de paz pelo referendo] não significa que a batalha pela paz tenha sido perdida", tinha afirmado antes Timoleon Jiménez, líder da guerrilha marxista das FARC, a partir de Havana, onde decorreram as negociações de paz durante quase quatro anos.

Admitindo a sua disposição para "retificar" o acordo de paz rejeitado, garantiu que a guerrilha permaneceria "fiel ao que foi acordado" e manteria "o cessar-fogo bilateral e definitivo para aliviar as vítimas do conflito e respeitar o acordo com o governo".

Pelo seu lado, Santos convocou todos os partidos políticos para o palácio presidencial "para os escutar, abrir espaços de diálogos e decidir o caminho a seguir".

Santos e Rodrigo Londoño, mais conhecido pelos seus nomes de guerra Timoleon Jiménez ou Timochenko, assinaram em 26 de setembro um acordo de paz histórico, prevendo a desmobilização dos 5.765 combatentes das FARC e a conversão da guerrilha em movimento político legal.

Para entrar em vigor, este texto de 297 páginas deveria ter sido aprovado pelos eleitores, uma consulta não obrigatória, mas desejada pelo Presidente, para dar "uma legitimidade maior" à paz.

Mas, apesar de a maior parte das sondagens preverem a vitória do "Sim", foi o "Não" que ganhou, com 50,21% dos votos, contra 49,78% num escrutínio em que a abstenção atingiu os 62%.

Lusa

  • Presidente da Colômbia não quer desistir da paz
    0:46

    Mundo

    O Presidente colombiano disse que apesar da vitória do "não" no referendo sobre o acordo de paz com a guerrilha das FARC, o cessar fogo é para continuar. Juan Manuel Santos disse que quer perceber o que levou a população a votar "não" e prometeu continuar os esforços para acabar com a guerra de 52 anos.

  • Colombianos rejeitam acordo do Governo com as FARC
    2:39

    Mundo

    Os colombianos rejeitaram ontem em referendo o acordo do Governo com a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias. Tanto o Presidente colombiano como as FARC prometem não desistir de alcançar a paz no país. O Executivo vai reunir com a oposição para perceber as motivações de quem votou não e garantiu que o cessar fogo vai continuar.

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.