sicnot

Perfil

Mundo

Cinco anos depois, chefe da máfia italiana capturado num quarto secreto em casa

Cinco anos depois, chefe da máfia italiana capturado num quarto secreto em casa

Um fugitivo conseguiu fugir da polícia italiana durante cinco anos, ao esconder-se num quarto secreto na sua própria casa. O homem era o chefe da máfia 'Ndrangheta, instalada na região de Calábria, em Itália. Contudo, na quarta-feira foi encontrado pelas autoridades no seu abrigo.

Antonio Pelle estava na lista italiana dos fugitivos mais perigosos. O homem de 54 anos pode ser condenado a 20 anos de prisão não só pelos crimes de tráfico de droga e armas, mas também por ser um membro da máfia.

Um vídeo publicado pelas autoridades mostra o momento em que o fugitivo é apanhado na sua própria casa, em Benestare.

Segundo o agente da polícia Francesco Ratta, cerca de 50 polícias estiveram nas buscas na casa de dois andares, onde Pelle sempre viveu. Contudo, foi preciso um agente mais atento para descobrir o esconderijo do traficante. O abrigo foi construído por trás de um armário e continha um colchão, uma ventoinha, algumas garrafas de água e algum dinheiro. As imagens do esconderijo podem ser vistas mais à frente no vídeo.

O homem foi preso pela primeira vez em 2008, mas três anos depois conseguiu escapar do hospital, onde estava a receber tratamento clínico.

Nas últimas duas décadas, a máfia de Calábria tornou-se num dos mais poderosos e ricos grupos de crime organizado. De acordo com os investigadores, o grupo só conseguiu alcançar tamanho poder, pois era um dos mais importantes importadores de cocaína da América do Sul para a Europa.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.