sicnot

Perfil

Mundo

Conselho de Segurança da ONU reúne-se de emergência para falar da Síria

O Conselho de Segurança da ONU reúne-se esta sexta-feira de emergência sobre a Síria, após um enviado da organização ter alertado que o leste de Alepo será totalmente destruído nos próximos meses pelos bombardeamentos russos e sírios.

A Rússia pediu a reunião para ouvir o enviado da ONU Staffan de Mistura, que informará o Conselho sobre a situação no terreno por videoconferência a partir de Genebra, às 14:00 TMG (15:00 eme Lisboa), indicaram diplomatas.

O enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura emitiu hoje um apelo sobre Alepo ao avisar que o leste da cidade enfrenta a "destruição total", e exortou os combatentes islamitas a abandonaram as suas posições para permitir o envio de ajuda aos civis.

"No máximo em dois meses, dois meses e meio, a cidade do leste de Alepo pode estar totalmente destruída", disse de Mistura aos jornalistas em Genebra.

A zona rebelde do leste de Alepo tem sido flagelada por uma ofensiva das forças governamentais com o apoio da aviação russo, incluindo diversos ataques a instalações hospitalares.

De Mistura assinalou que a presença de combatentes do grupo 'jihadista' Al-Nusra na cidade tem sido utilizada como justificação por Moscovo e Damasco para este assalto continuado.

As Nações Unidas estimam que cerca de 275.000 civis estão sob cerco no leste de Alepo, e com a impossibilidade de envio de ajuda após as forças governamentais terem controlado a última rota de abastecimento em julho.

  • João Galamba deixa de ser porta-voz do PS

    País

    João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS e de integrar a comissão permanente do partido. A nova porta-voz dos socialistas vai ser Maria Antónia Almeida Santos, que já integrava a comissão independente, órgão de direção política do PS.

  • Mariano Rajoy não vai convocar eleições antecipadas
    1:24

    Mundo

    O governo espanhol está por um fio por causa de um processo de corrupção a envolver dirigentes do PP. O PSOE apresentou uma moção de censura e o Ciudadanos pede eleições antecipadas. O chefe do governo, Mariano Rajoy, já disse que não vai convocar eleições.