sicnot

Perfil

Mundo

Aos 85 anos, arcebispo Desmond Tutu quer opção de morte assistida

© Mark Wessells / Reuters

O arcebispo anglicano emérito sul-africano e ícone anti-apartheid Desmond Tutu celebrou esta sexta-feira o seu 85.º aniversário dizendo que gostaria que lhe fosse permitida a opção de morte assistida com dignidade.

"Hoje, eu mesmo estou mais perto da sala das partidas do que da das chegadas, por assim dizer, e os meus pensamentos centram-se em como eu gostaria de ser tratado quando chegar o momento", escreveu Tutu num artigo de opinião publicado no diário norte-americano The Washington Post.

"Preparei-me para a minha morte e deixei claro que não desejo ser mantido vivo a qualquer custo", disse o religioso, que teve alta do hospital no final de setembro.

"Espero ser tratado com compaixão e que me seja permitido partir para a próxima fase da jornada da vida da forma que eu escolher", frisou.

Tutu, a quem chamam carinhosamente "the Arch" (abreviatura de arcebispo), esteve várias vezes hospitalizado desde o ano passado devido a uma infeção persistente, resultante do tratamento para o cancro da próstata que faz há quase 20 anos.

"Agora mais que nunca, sinto-me impelido a dar voz a esta causa: para aqueles que sofrem insuportavelmente ao chegarem ao fim das suas vidas, apenas saber que uma morte assistida está ao seu alcance pode dar um incomensurável conforto", argumentou.

O suicídio medicamente assistido ou eutanásia voluntária é ilegal na África do Sul, mas nos últimos anos tem havido apelos crescentes para que seja legalizado.

Hoje de manhã, Desmond Tutu presidiu à eucaristia na igreja da sua paróquia na Cidade do Cabo e prestou um comovente tributo à catedral de St. George antes de deitar a cabeça na mesa da comunhão e chorar por uns momentos.

"Dei indicação de que, quando chegar o momento, quero repousar aqui, permanentemente, convosco", disse aos fiéis.

Tutu, que se tornou o primeiro arcebispo anglicano negro da Cidade do Cabo, em 1986, tomou uma chávena de chá com os fiéis após o serviço religioso da manhã.

No dia do seu aniversário, o Presidente sul-africano, Jacob Zuma, e o último líder do apartheid, F.W. de Klerk, prestaram-lhe homenagem.

Em comunicado, Zuma disse que Tutu "contribuiu imensamente para a liberdade e o sistema democrático" da África do Sul.

"Ele continua a inspirar a nação e o mundo ao promover os direitos humanos, a justiça e o bem-estar de todos, especialmente dos pobres", disse Zuma.

De Klerk e a sua fundação desejaram a Tutu "a melhor saúde no próximo ano" e reconheceram "o seu valioso papel como pacificador, bem como o seu contributo para a boa vontade entre todos os sul-africanos e para a democracia constitucional da África do Sul".

Ordenado sacerdote aos 30 anos e nomeado arcebispo em 1986, Desmond Tutu usou a sua posição para defender a adoção de sanções internacionais contra o poder da minoria branca na África do Sul e, mais tarde, para lutar por direitos, de forma global. Recebeu o Prémio Nobel da Paz em 1984.

Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59