sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 180 mil casas sem luz na Florida à chegada do furacão Matthew

Cerca de 180 mil casas estão sem luz na Florida (EUA) devido à aproximação do furacão Matthew, com ventos de até 210 quilómetros por hora, que pode tocar terra nas próximas horas e fez mais de 300 mortos no Haiti.

De acordo com a empresa Florida Power & Light, a principal elétrica do estado, à 01:00 (06:00 em Lisboa), 179.980 casas estavam sem luz, a maioria em Palm Beach (71.010) e Martin (26.430).

O número, que somado às 88.660 casas onde já foi restabelecido o serviço, resulta num total de 268.640 afetadas pelo Matthew, um furacão que o governador da Florida, Rick Scott, apresenta como uma ameaça "mortal" para os cidadãos.

À mesma hora, o Matthew estava a 80 quilómetros de Vero Beach e a 140 quilómetros de Cabo Canaveral, sede do centro espacial da NASA, a agência espacial norte-americana, de acordo com um boletim do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC).

O Matthew avança a 20 quilómetros por hora em direção noroeste e mantém-se como furacão de categoria 4 numa escala de 5, com ventos máximos sustentáveis de 210 quilómetros por hora.

De acordo com o NHC, "ventos com força de tempestade tropical" sentem-se ao longo de toda a costa oriental da Florida.

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama declarou estado de emergência na Florida, Carolina do Sul e Georgia, de modo a permitir assistência federal.

Ao passar pelo Haiti, o Matthew causou pelo menos 283 mortos, segundo o governo do país.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Ministra admite que a maioria dos incêndios começaram por mão humana
    1:57

    País

    A Ministra da Administração Interna admitiu esta quarta-feira que a maioria dos incêndios deste ano começaram por mão humana, mas Constança Urbano de Sousa entende que é cedo para tirar outras conclusões. Já o vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Adelino Gomes, diz que não há duvidas e fala em terrorismo organizado. 

  • Sismo na região de Lisboa sentido num raio de 150km
    3:19