sicnot

Perfil

Mundo

Matthew, um dos maiores furacões de sempre

Matthew, um dos maiores furacões de sempre

O furacão Matthew, um dos maiores de que há registo, está a atingir de forma devastadora a América Central e o sudeste dos Estados Unidos, onde quatro Estados já acionaram planos de emergência.

  • Portuguesa em Orlando diz que não se vê ninguém na rua
    3:25

    Mundo

    Carla Duarte está num hotel na Florida, onde falou à SIC em direto sobre o furacão Matthew que está a afetar zona. A portuguesa diz que o vento está mais calmo, contudo o nevoeiro cerrado continua. Carla Duarte afirma ainda que não se vê ninguém na rua. Todas as informações - como manter-se dentro de casa - estão a ser dadas por televisão.

  • Português na Florida afirma que ventos continuam fortes
    4:01

    Mundo

    Eddie Branquinho está a viver na Florida e falou com a SIC sobre o furacão Matthew, que já fez um morto no estado norte-americano. O português diz que os ventos continuam fortes, mas já abrandaram um "pouco". Eddie Branquinho relata que está a ouvir as árvores caírem sobre a sua casa. O português falou ainda sobre a maneira como os oficiais pedem às pessoas para se prepararem para este tipo de situações.

  • "É uma experiência assustadora"
    4:54

    Mundo

    Maria Elizabeth Pereira está a viver na Florida e falou com a SIC sobre o furacão Matthew. A portuguesa diz que os ventos continuam fortes, mas que perto da sua casa a situação está estável. A portuguesa confessa no entanto tratar-se de uma "experiência assustadora" por não saber se a situação irá piorar.

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.