sicnot

Perfil

Mundo

Raparigas gastam mais 160 milhões de horas que rapazes em tarefas domésticas

As raparigas com idades entre 5 e 14 anos gastam mais 40% do tempo diário, mais 160 milhões de horas, em tarefas não remuneradas que os rapazes da mesma faixa etária, segundo um relatório da UNICEF hoje divulgado.

Intitulado "Harnessing the Power of Data for Girls: Taking stock and looking ahead to 2030" ("Usar o poder dos números a favor das raparigas: Fazendo um balanço e olhando em frente para 2030") e lançado pouco antes do Dia Internacional da Rapariga, que se assinala a 11 de outubro, o relatório apresenta as primeiras estimativas globais sobre o tempo despendido pelas raparigas em tarefas domésticas, como cozinhar, limpar, cuidar dos membros da família e ir buscar água e lenha.

A informação disponibilizada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) mostra que "a carga desproporcionada do trabalho doméstico começa cedo, havendo raparigas entre os cinco e os nove anos que despendem mais 30% de tempo, ou seja mais 40 milhões de horas diárias, em tarefas domésticas que os rapazes da mesma idade".

E "os números aumentam com a idade", sublinha-se no documento: "As raparigas entre os dez e os 14 anos passam mais 50% de tempo, ou mais 120 milhões de horas por dia, neste tipo de tarefas".

"A sobrecarga de trabalho doméstico não remunerado começa nos primeiros anos da infância e agrava-se quando as raparigas chegam à adolescência", indicou Anju Malhotra, Conselheira para os Assuntos de Género da UNICEF.

"Em consequência, as raparigas sacrificam oportunidades de usufruir da aprendizagem, do crescimento ou simplesmente de poderem gozar a sua infância", prosseguiu a responsável, alertando que "esta distribuição desigual de trabalho entre as crianças contribui para perpetuar estereótipos de género bem como o fardo que recai sobre as mulheres e as raparigas, que passa de geração em geração."

O relatório frisa que "o trabalho das raparigas é menos visível e, na maior parte dos casos, subvalorizado" e que frequentemente elas são sobrecarregadas com "responsabilidades dos adultos, como cuidar de membros da família, incluindo outras crianças".

"O tempo que gastam nestas tarefas limita a sua disponibilidade para brincar, conviver com amigos, estudar e ser criança", lê-se no documento, que nota igualmente que "em alguns países, ir buscar lenha e água para levar para casa coloca as raparigas em risco de violência sexual".

O diretor do departamento de Dados e Análise da UNICEF, Attila Hancioglu, salientou que "quantificar os desafios que as raparigas enfrentam é um primeiro passo essencial para a concretização do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável sobre igualdade de género e para derrubar as barreiras que 1,1 mil milhões de raparigas enfrentam atualmente".

Os relatores da UNICEF sublinham ainda que "os dados existentes para dois terços dos 44 indicadores relacionados com as raparigas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) - a agenda global para pôr fim à pobreza, proteger o planeta e assegurar prosperidade para todos - são pouco relevantes".

"Além das tarefas domésticas, o relatório apresenta dados sobre outras questões relacionadas com as raparigas incluídas nos ODS, nomeadamente a violência, o casamento na infância, a mutilação genital feminina e a educação", lê-se no documento.

"Alcançar os ODS relativos a essas questões e capacitar as raparigas com o conhecimento, as competências e os recursos de que precisam para desenvolver todo o seu potencial não é benéfico apenas para as raparigas, mas pode contribuir para o crescimento económico, para promover a paz e reduzir a pobreza", defendem os relatores.

Lusa

  • Senegal surpreende e vence a Polónia por 2-1

    Mundial 2018 / Polónia

    O Senegal venceu hoje a Polónia por 2-1 num jogo a contar para o grupo H do Mundial da Rússia. Na primeira parte, os "leões de Teranga" beneficiaram de um golo na própria baliza marcado por Thiago Cionek aos 37 minutos. A vantagem no marcador veio trazer estabilidade ao Senegal que conseguiu firmar a superioridade com um golo de M´Baye Niang aos 60 minutos. Perto do final do jogo, o polaco Grzeg Krychowiak marcou na baliza de Khadim N'Diaye, mas foi insuficiente para derrotar o Senegal.

  • Japão ganha nova esperança ao derrotar a Colômbia (2-1)

    Mundial 2018 / Colômbia

    No primeiro jogo do grupo H, a Colômbia foi derrotada pelo Japão. Um dos momentos altos do jogo aconteceu logo ao minuto 4 quando, na sequência de uma falta de Carlos Sanchez, o árbitro assinalou um penálti a favor da equipa japonesa. O colombiano levou um cartão vermelho, depois de ter intercetado um remate do Japão com a mão. Apesar da desvantagem numérica, a Colômbia iguala o marcador aos 39 minutos com um livre de Quintero. Contudo, Yuya Osako colocou o Japão novamente em vantagem aos 73 min.

  • Achilles, o gato que adivinha os resultados do Mundial
    0:44

    Desporto

    Depois do polvo Paul no Mundial de 2010 e do elefante Zella no Europeu de 2016, este ano, o gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. O felino acertou na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita e já fez a aposta para a partida entre os russos e o Egipto, que decorre esta terça-feira, a partir das 19:00.

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

    SIC

  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • Morreu o orangotango mais velho do mundo

    Mundo

    O orangotango mais velho do mundo morreu aos 62 anos no jardim zoológico de Perth, no norte da Austrália, deixando 54 descendentes, anunciou esta terça-feira a instituição.

  • Milionários aumentam... e as suas fortunas também

    Mundo

    O número de milionários mundiais cresceu em 2017 e o seu nível de riqueza aumentou pelo sexto ano consecutivo, ultrapassando pela primeira vez os 70 biliões de dólares (60,5 biliões de euros), segundo um estudo divulgado esta terça-feira.