sicnot

Perfil

Mundo

Raparigas gastam mais 160 milhões de horas que rapazes em tarefas domésticas

As raparigas com idades entre 5 e 14 anos gastam mais 40% do tempo diário, mais 160 milhões de horas, em tarefas não remuneradas que os rapazes da mesma faixa etária, segundo um relatório da UNICEF hoje divulgado.

Intitulado "Harnessing the Power of Data for Girls: Taking stock and looking ahead to 2030" ("Usar o poder dos números a favor das raparigas: Fazendo um balanço e olhando em frente para 2030") e lançado pouco antes do Dia Internacional da Rapariga, que se assinala a 11 de outubro, o relatório apresenta as primeiras estimativas globais sobre o tempo despendido pelas raparigas em tarefas domésticas, como cozinhar, limpar, cuidar dos membros da família e ir buscar água e lenha.

A informação disponibilizada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) mostra que "a carga desproporcionada do trabalho doméstico começa cedo, havendo raparigas entre os cinco e os nove anos que despendem mais 30% de tempo, ou seja mais 40 milhões de horas diárias, em tarefas domésticas que os rapazes da mesma idade".

E "os números aumentam com a idade", sublinha-se no documento: "As raparigas entre os dez e os 14 anos passam mais 50% de tempo, ou mais 120 milhões de horas por dia, neste tipo de tarefas".

"A sobrecarga de trabalho doméstico não remunerado começa nos primeiros anos da infância e agrava-se quando as raparigas chegam à adolescência", indicou Anju Malhotra, Conselheira para os Assuntos de Género da UNICEF.

"Em consequência, as raparigas sacrificam oportunidades de usufruir da aprendizagem, do crescimento ou simplesmente de poderem gozar a sua infância", prosseguiu a responsável, alertando que "esta distribuição desigual de trabalho entre as crianças contribui para perpetuar estereótipos de género bem como o fardo que recai sobre as mulheres e as raparigas, que passa de geração em geração."

O relatório frisa que "o trabalho das raparigas é menos visível e, na maior parte dos casos, subvalorizado" e que frequentemente elas são sobrecarregadas com "responsabilidades dos adultos, como cuidar de membros da família, incluindo outras crianças".

"O tempo que gastam nestas tarefas limita a sua disponibilidade para brincar, conviver com amigos, estudar e ser criança", lê-se no documento, que nota igualmente que "em alguns países, ir buscar lenha e água para levar para casa coloca as raparigas em risco de violência sexual".

O diretor do departamento de Dados e Análise da UNICEF, Attila Hancioglu, salientou que "quantificar os desafios que as raparigas enfrentam é um primeiro passo essencial para a concretização do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável sobre igualdade de género e para derrubar as barreiras que 1,1 mil milhões de raparigas enfrentam atualmente".

Os relatores da UNICEF sublinham ainda que "os dados existentes para dois terços dos 44 indicadores relacionados com as raparigas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) - a agenda global para pôr fim à pobreza, proteger o planeta e assegurar prosperidade para todos - são pouco relevantes".

"Além das tarefas domésticas, o relatório apresenta dados sobre outras questões relacionadas com as raparigas incluídas nos ODS, nomeadamente a violência, o casamento na infância, a mutilação genital feminina e a educação", lê-se no documento.

"Alcançar os ODS relativos a essas questões e capacitar as raparigas com o conhecimento, as competências e os recursos de que precisam para desenvolver todo o seu potencial não é benéfico apenas para as raparigas, mas pode contribuir para o crescimento económico, para promover a paz e reduzir a pobreza", defendem os relatores.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.