sicnot

Perfil

Mundo

Dois dos feridos no ataque em Jerusalém morreram no hospital

Dois dos feridos do ataque hoje de manhã em Jerusalém morreram, segundo uma fonte hospitalar citada pela agência France Prese.

O porta-voz do hospital Hadassah não deu mais informações sobre as vítimas, mas anteriormente a polícia apontava para pelo menos quatro feridos, indicado que duas mulheres e um elemento da polícia tinham ferimentos graves.

Segundo a polícia, um homem que circulava numa viatura na zona de Jerusalém Oriental abriu fogo em direção a pessoas que estavam na rua, tendo em seguida fugido para um bairro palestiniano.

O homem foi perseguido pela polícia e acabou por ser morto, depois de ter também começado a disparar contra elementos das forças policiais, acrescentou a mesma fonte citada pela agência France Presse.

Lusa

  • Pelo menos oito feridos em atentado em Jerusalém

    Mundo

    Pelo menos oito pessoas ficaram feridas esta manhã, num tiroteio em Jerusálem. Duas estão em estado crítico, uma mulher, civil, que estava a passar na rua, e um agente da polícia. O ataque aconteceu perto da sede da polícia.

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50