sicnot

Perfil

Mundo

Hamas reivindica autoria de ataque em Jerusalém

O movimento islâmico Hamas reclamou a autoria do ataque de hoje em Jerusalém, no qual morreram dois israelitas, outros cinco ficaram feridos e o autor foi abatido a tiro pela polícia.

"A operação foi levada a cabo por Musbah Abu Subeij, de 39 anos, do bairro palestiniano de Silwán, em Jerusalém Este", lê-se num comunicado oficial do Hamas, citado pela agência Efe.

De acordo com o comunicado, Abu Subeij era conhecido por ser um dos membros ativos do movimento em Jerusalém Este, a parte da cidade ocupada por Israel desde 1967 e reclamada pelos palestinianos como capital do seu Estado.

"Antes de sacrificar a sua alma hoje, sacrificava sempre o seu dinheiro e anos de vida pela mesquita de Al Aqsa e por Jerusalém. A sua principal preocupação era defender a mesquita", diz o Hamas.

Segundo a mesma fonte, Abu Subeij cumpriu pena durante vários anos em prisões israelitas e era procurado pela polícia.

"A polícia israelita esperava que Abu Subeij se entregasse para cumprir uma pena de quatro meses de detenção administrativa (...). Mas [Abu Subeij] preferiu o caminho dos mujahideen (combatentes, em árabe) e desempenhou esta heroica operação", refere o Hamas.

Por outro lado, as autoridades judiciais israelitas optaram pela não divulgação das circunstâncias do ataque, identidade do agressor ou dados das vítimas.

O movimento islâmico elogiou a ação do que denominou ser a "Intifada de Al Quds" [Revolta de Jerusalém], uma onda de violência que atinge a região há um ano e já custou a vida a 234 palestinianos, mais de dois terços dos quais quando levavam a cabo ataques ou presumíveis ataques.

Nestes ataques morreram 42 pessoas, entre 38 israelitas, dois norte-americanos, um eritreu e um transeunte palestiniano.

O incidente de hoje ocorreu quando um palestiniano disparou contra várias pessoas nas proximidades da Esquadra de Polícia Central de Israel, localizada na zona leste de Jerusalém, tendo depois fugido para o bairro de Sheik Jarraj, onde, mais tarde, foi morto pela polícia na sequência de uma troca de tiros.

"A Intifada de Al Quds está em marcha e nada a parará. A operação de hoje conseguiu surpreender o inimigo e foi levada a cabo apesar das fortes medidas de segurança israelitas", concluiu o Hamas, referindo-se ao nível de alerta por causa do período de festas judaicas do ano novo.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.