sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 10 militares turcos mortos em ataque do PKK

Pelo menos 17 militares turcos morreram e 30 ficaram feridos hoje num ataque da guerrilha do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) contra uma esquadra no extremo sudeste da Turquia, segundo a agência semipública Anadolu.

Membros do proscrito PKK lançaram um carro bomba contra um controlo de estrada localizado ao lado de uma esquadra de polícia na província de Hakkari, na fronteira com o Iraque e o Irão, causando, pelo menos, oito mortos e cinco feridos.

No sábado, as forças armadas turcas indicaram ter matado oito guerrilheiros na mesma província, local habitual de confrontos entre as duas partes.

O PKK e o Estado turco suspenderam em julho de 2015 um cessar-fogo, que durava há mais de dois anos e meio.

Considerado como um grupo terrorista pela União Europeia, Estados Unidos e Turquia, o PKK iniciou a sua luta armada em 1984 para defender direitos da minoria curda na Turquia.

Com Lusa

  • Portugueses e espanhóis protestam em Salamanca contra mina de urânio
    0:38

    País

    O Bloco de esquerda desafia o Governo português a exigir às autoridades espanholas uma avaliação do impacto ambiental da mina de urânio a 40 quilómetros da fronteira portuguesa. Este caso está gerar contestação entre os ambientalistas. Várias associações portuguesas participaram este sábado numa manifestação em Salamanca. A Quercus diz-se preocupada com o impacto da mina de urânio no território português.

  • PS e PSD querem acordo sobre fundos e descentralização até ao verão
    3:07
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de três armas da PSP, recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avança hoje que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • As gravações que provam que as autoridades conheciam o perfil violento de Nikolas Cruz
    1:35