sicnot

Perfil

Mundo

Luso-descendente na Venezuela liderava gangue que assassinou o seu próprio tio

As autoridades venezuelanas detiveram dez pessoas, entre elas um luso-descendente, acusado de liderar um gangue que sequestrou e assassinou o seu próprio tio, na cidade venezuelana de Los Teques, 30 quilómetros a sul de Caracas.

Segundo fontes policiais, Anderson Iván Ramos Vega, 25 anos, conhecido pela alcunha de "El Lolo", é acusado de ter sequestrado, assassinado e enterrado o tio, Roberto Ramos (64 anos), um conhecido comerciante de Los Teques.

O sequestro aconteceu no passado dia 7 de junho, quando a vítima foi intercetada por sete homens armados ao sair da sua residência.

A viatura de Roberto Ramos foi encontrada abandonada horas mais tarde pelas autoridades.

Os raptores terão efetuado um único contato telefónico com a família.

O rastreio de telefonemas permitiu à polícia deter nove pessoas alegadamente envolvidas no sequestro, entre elas a mãe e um irmão do luso-descendente, que foi capturado há uma semana, pela Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar) quando assaltava os passageiros de um autocarro em Las Adjuntas (zona oeste de Caracas).

Alguns dos detidos disseram às autoridades que a vítima foi entregue ao sobrinho ainda viva que o tio esteve dois meses em cativeiro, antes de ser assassinado.

O luso-descendente acabou por confessar e indicar às autoridades a zona arborizada onde enterrou o cadáver do tio.

A vítima era proprietária de uma loja de artigos musicais Disco Roylu, um dos estabelecimentos mais antigos de Los Teques.

Lusa

  • O último adeus às vítimas da tragédia de Vila Nova da Rainha
    1:37

    País

    As cerimónias fúnebres das oito vítimas mortais do incêndio na Associação de Vila Nova da Rainha realizaram-se esta terça-feira. Três delas ocorreram em simultâneo na povoação do concelho de Tondela que, no passado sábado, viu a tragédia bater-lhe à porta.

  • Fóssil humano mais antigo encontrado em Portugal entregue ao Museu de Arqueologia
    3:42

    País

    O mais antigo fóssil humano até hoje encontrado em Portugal, o "Crânio da Aroeira", foi entregue no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa. Em 2014, o fóssil foi encontrado pela equipa do arqueólogo João Zilhão perto de Torres Novas e foi restaurado e estudado na Universidade Complutense de Madrid, durante dois anos e meio.

  • De "lambe rabos" a "labrego", a polémica entre Rodolfo Reis e Bruno de Carvalho
    1:30
  • O Futuro Hoje na maior feira eletrónica de consumo do mundo
    5:14
  • Ambientalistas consideram insuficiente estratégia de Bruxelas para reduzir plástico
    2:07