sicnot

Perfil

Mundo

Regime sírio mantém ofensiva em Alepo após falta de acordo na ONU

As forças governamentais sírias mantiveram as ofensivas a Alepo, cidade controlada por rebeldes, após o Conselho de Segurança da ONU não ter conseguido acordar uma trégua para salvar a cidade.

As forças do regime e os seus aliados têm vindo a avançar rua a rua pela zona leste da cidade, que não é controlada pelo Governo desde 2012.

"Confrontos no terreno e violentos ataques aéreos decorreram durante toda a noite e continuaram no domingo, especialmente no bairro Sheikh Said", no leste de Alepo, disse o líder do Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

A organização informou que as forças do regime tomaram controlo do cruzamento de Jandul, no nordeste de Alepo.

Os mais recentes avanços das forças governamentais têm como objetivo abrir caminho para "uma ofensiva crucial e decisiva", segundo o jornal sírio Al-Watan, próximo do Governo.

O exército lançou um ataque à zona tomada de Alepo há mais de duas semanas, com o apoio de ataques aéreos russos, com o objetivo de reunificar a cidade, que era o centro económico da Síria antes do início do conflito, em 2011.

Ataques aéreos e fogo de artilharia do regime, com o apoio da Rússia, mataram 290 pessoas, a maioria civis, incluindo 57 crianças, desde que as operações foram lançadas em Alepo, a 22 de setembro, disse o Observatório.

O grupo sedeado no Reino Unido, que recolhe informação de diferentes fontes no terreno, indicou que 50 civis, incluindo nove crianças, também morreram em bombardeamentos de rebeldes sobre bairros controlados pelo regime.

A agência oficial da Síria, a SANA, indicou no domingo que bombardeamentos rebeldes mataram um bebé e feriram duas pessoas no bairro de Hamdaniyeh.

No sábado, nas Nações Unidas, a Rússia vetou uma resolução apresentada pela França, exigindo o fim dos bombardeamentos de Alepo. Também a proposta da Rússia, que apelava ao fim das hostilidades na Síria sem solicitar especificamente um fim dos atuais bombardeamentos sobre Alepo, foi rejeitada.

Lusa

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • Avião divergiu para as Lajes devido a discussão a bordo

    País

    Um avião da companhia aérea British Airways divergiu hoje para o aeroporto das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores, devido a uma discussão a bordo entre um casal de passageiros e a tripulação, informou hoje a Força Aérea Portuguesa.

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e, a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.