sicnot

Perfil

Mundo

Seul e Washington iniciam manobras navais em clima de tensão com Pyongyang

A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram hoje manobras navais num momento de particular tensão na península perante a possibilidade de o regime norte-coreano realizar novo teste nuclear para assinalar o aniversário do partido único.

Nestes exercícios, que se entendem como uma exibição de força perante Pyongyang e se realizam simultaneamente no Mar Amarelo e no Mar do Japão, participa Ronald Reagan, um porta-aviões norte-americano de propulsão nuclear da classe Nimitz, precisou o exército sul-coreano, em comunicado.

"O exercício Espírito invencível pretende mostrar o compromisso dos aliados para responder às incansáveis provocações do Norte e melhorar a sua interoperabilidade marítima", explica o texto.

Além do Ronald Reagan, os aliados preveem mobilizar dezenas de navios e submarinos que incluem contratorpedeiros de tipo Ticonderoga, equipados com sistemas de mísseis de cruzeiro Aegis, além de aviões de vigilância marítima P-3 e P-8, helicópteros Apache ou caças FA-18C.

O exercício pretende simular o ataque a comandos especiais norte-coreanos integrados com submarinos e aeronaves que estariam a tentar infiltrar-se nas águas da Coreia do Sul.

As duas Coreias mantêm-se tecnicamente em guerra, apesar de o conflito entre ambas (1950-1953) ter terminado com um cessar-fogo, e os Estados Unidos, que lideraram a coligação da ONU que participou no conflito para defender o Governo de Seul, mantêm no solo sul-coreano 28.500 efetivos como meio de dissuasão.

As manobras acontecem num momento de particular tensão já que o Norte, que denuncia que estes exercícios não são defensivos mas sim um ensaio para invadir o seu território, pode realizar um novo teste de armamento, coincidindo com o 71.º aniversário do Partido dos Trabalhadores, que se celebra hoje.

O regime de Kim Jong-un tem por hábito realizar testes perto de datas importantes do seu calendário, como foi o caso do último ensaio nuclear, no passado dia 9 de setembro, dia do aniversário da fundação nacional.

Nos últimos três dias, imagens captadas por satélite revelam um aumento da atividade nas bases de lançamento de mísseis e de provas nucleares do país.

Lusa

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.