sicnot

Perfil

Mundo

Seul e Washington iniciam manobras navais em clima de tensão com Pyongyang

A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram hoje manobras navais num momento de particular tensão na península perante a possibilidade de o regime norte-coreano realizar novo teste nuclear para assinalar o aniversário do partido único.

Nestes exercícios, que se entendem como uma exibição de força perante Pyongyang e se realizam simultaneamente no Mar Amarelo e no Mar do Japão, participa Ronald Reagan, um porta-aviões norte-americano de propulsão nuclear da classe Nimitz, precisou o exército sul-coreano, em comunicado.

"O exercício Espírito invencível pretende mostrar o compromisso dos aliados para responder às incansáveis provocações do Norte e melhorar a sua interoperabilidade marítima", explica o texto.

Além do Ronald Reagan, os aliados preveem mobilizar dezenas de navios e submarinos que incluem contratorpedeiros de tipo Ticonderoga, equipados com sistemas de mísseis de cruzeiro Aegis, além de aviões de vigilância marítima P-3 e P-8, helicópteros Apache ou caças FA-18C.

O exercício pretende simular o ataque a comandos especiais norte-coreanos integrados com submarinos e aeronaves que estariam a tentar infiltrar-se nas águas da Coreia do Sul.

As duas Coreias mantêm-se tecnicamente em guerra, apesar de o conflito entre ambas (1950-1953) ter terminado com um cessar-fogo, e os Estados Unidos, que lideraram a coligação da ONU que participou no conflito para defender o Governo de Seul, mantêm no solo sul-coreano 28.500 efetivos como meio de dissuasão.

As manobras acontecem num momento de particular tensão já que o Norte, que denuncia que estes exercícios não são defensivos mas sim um ensaio para invadir o seu território, pode realizar um novo teste de armamento, coincidindo com o 71.º aniversário do Partido dos Trabalhadores, que se celebra hoje.

O regime de Kim Jong-un tem por hábito realizar testes perto de datas importantes do seu calendário, como foi o caso do último ensaio nuclear, no passado dia 9 de setembro, dia do aniversário da fundação nacional.

Nos últimos três dias, imagens captadas por satélite revelam um aumento da atividade nas bases de lançamento de mísseis e de provas nucleares do país.

Lusa

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.