sicnot

Perfil

Mundo

Governo moçambicano estima que um milhão de pessoas sejam afetadas pelas cheias

Cerca de um milhão de pessoas poderão ser afetadas por cheias na época chuvosa que se aproxima em Moçambique e o país precisa de mais de nove milhões de euros para fazer face à situação, informou esta terça-feira o Governo.

Falando após mais uma sessão do Conselho de Ministros em Maputo, o porta-voz do órgão, Mouzinho Saíde, disse que as províncias de Niassa, Nampula, Cabo Delegado, no norte do país, Zambézia e Tete, no centro, serão as mais afetadas pelas cheias e o Plano de Contingência do Governo para responder à situação está orçado em 810 milhões de meticais (mais de nove milhões de euros).

"O Governo vai mobilizar 160 milhões de meticais [1, 8 milhões de euros], mas o défice será ainda considerável", afirmou o porta-voz do Conselho de Ministros, acrescentando que o país vai precisa de apoio para fazer face à época chuvosa entre 2016 e 2017.

Entre outubro e abril, Moçambique é sazonalmente atingido por cheias, fenómeno justificado pela sua localização geográfica, a jusante da maioria das bacias hidrográficas da África Austral, mas o sul do país é igualmente afetado por secas prolongadas e que este ano deixaram 1,5 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar.

Lusa

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07