sicnot

Perfil

Mundo

Grupos sunitas rivais acordam cessar-fogo no norte da Síria

As fações sunitas sírias, Yund al Aqsa e Movimento Islâmico dos Livres de Sham, assinaram um cessar-fogo que põe fim aos confrontos dos últimos dias no norte do país entre os dois grupos.

O pacto entre as duas organizações - difundido através da internet - foi subscrito entre a Frente da Conquista do Levante (a antiga extensão da Al-Qaeda na Síria), de que faz parte o grupo extremista Yund al Aqsa, e o Movimento Islâmico dos Livres de Sham.

O acordo estabelece uma trégua imediata e a abertura de todas as estradas cortadas, a libertação de todos os prisioneiros num prazo de 24 horas (exceto os membros do Yund al Aqsa com ligações ao Estado Islâmico) e a criação de um tribunal para resolver as diferenças existentes entre as partes.

Segundo a agência EFE, o texto assinala que a integração do Yund al Aqsa com a Frente da Conquista do Levante prevê uma "solução para o conflito".

O acordo foi alcançado depois de confrontos entre os Livres de Sham e o Yund al Aqsa, na província de Idleb, no norte da Síria e que se registavam desde o dia 6 de outubro, em Ileb, próximo de Alepo, no norte do país.

Lusa

  • Portugueses e espanhóis protestam em Salamanca contra mina de urânio
    0:38

    País

    O Bloco de esquerda desafia o Governo português a exigir às autoridades espanholas uma avaliação do impacto ambiental da mina de urânio a 40 quilómetros da fronteira portuguesa. Este caso está gerar contestação entre os ambientalistas. Várias associações portuguesas participaram este sábado numa manifestação em Salamanca. A Quercus diz-se preocupada com o impacto da mina de urânio no território português.

  • PS e PSD querem acordo sobre fundos e descentralização até ao verão
    3:07
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de três armas da PSP, recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avança hoje que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • As gravações que provam que as autoridades conheciam o perfil violento de Nikolas Cruz
    1:35