sicnot

Perfil

Mundo

Chineses tiveram contacto com os ocidentais muito antes de Marco Polo

Artesãos da Grécia Antiga terão ensinado os chineses que fizeram os Guerreiros de Terracota.

© Benoit Tessier / Reuters

A China e o Ocidente terão tido os primeiros contactos mais de 1500 anos antes da chegada do explorador europeu Marco Polo.

Estudos arqueológicos indicam que a inspiração para o Exército de Terracota, que se encontra no túmulo do Primeiro Imperador, terá vindo da Grécia Antiga. Os arqueólogos vão mais longe e dizem que terão sido mesmo artesão gregos a treinar os chineses no ano III antes de Cristo.

A visita de Marco Polo à China no século XIII d.C. foi a primeira a ser documentada. No entanto, historiadores chineses registaram que muitos anos antes já tinham recebido emissários do Império Romano, durante os séculos II e III d.C..

"Temos agora provas de que houve contacto próximo entre a China do Primeiro Imperador e o Ocidente antes da abertura oficial da Rota da Seda. E isto foi muito antes do que pensávamos", revelou à BBC a arqueóloga Li Xiuzhen, do Museu do Mausoleu do Imperador Qin Shi Huang.

Um outro estudo científico revela que foi encontrado ADN mitocondrial - de origem materna - especificamente europeu em locais da China Ocidental, o que significa que pessoas do Ocidente terão vivido no tempo do Primeiro Imperador Qin Shi Huang.

Foi em 1974 que agricultores encontraram as primeiras figuras dos 8 mil Guerreiros de Terracota enterrados perto do túmulo do Primeiro Imperador. No entanto, não havia tradição na China de construir figuras humanas de tamanho real antes de este túmulo ser construído. A arqueóloga Li Xiuzhen acredita que esta mudança teve influências exteriores.

"Pensamos que o Exército de Terracota, os Acrobatas e as esculturas de bronze encontradas no túmulo foram inspirados pela arte da Grécia Antiga", explica.

Os Acrobatas são esculturas de bronze recentemente descobertas no túmulo do Imperador Qin Shi Huang.

Descobriu-se agora também que o túmulo é muito maior do que inicialmente pensado e 200 vezes maior que o Vale dos Reis no Egipto.

  • Partidos exigem explicações sobre transferências para offshores entre 2011 e 2014

    Economia

    O PS junta-se ao PCP, o Bloco de Esquerda e o PSD no pedido para a audição urgente do antigo e o atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sobre a falta de controlo do Fisco às transferências de dinheiro para paraísos fiscais. Em causa está a transferência de 10 mil milhões de euros para offshores. O CSD é o único partido que ainda não se pronunciou.