sicnot

Perfil

Mundo

Detidos em Espanha e Marrocos quatro membros de células extremistas

Arquivo Reuters

Quatro homens de nacionalidade marroquina foram detidos, dois deles em Espanha (Ceuta e Alicante) e outros dois em Marrocos (Tetuão e Fnideq), numa operação conjunta entre os dois países contra o terrorismo.

Os detidos, segundo um comunicado de hoje do Ministério do Interior de Espanha, integravam duas células extremistas radicadas nos dois países, que atuavam de forma coordenada e em colaboração direta com a organização terrorista Estado Islâmico.

A operação foi realizada por agentes da Polícia Nacional e da Direção Geral de Vigilância do Território (DGST) de Marrocos, em colaboração com o Centro Nacional de Inteligência.

Os quatro detidos, segundo o Ministério do Interior, manifestam elevado nível de radicalização e compromisso com o Estado Islâmico, e dedicavam-se à doutrinação, radicalização e envio de novos extremistas para as fileiras da organização terrorista.

Para tal, recebiam instruções diretas, apoio logístico e material propagandístico de uma "katiba" (brigada) plenamente integrada no Estado Islâmico e radicada na zona do conflito sírio-iraquiano.

A operação, acrescenta o ministério, permitiu a neutralização de uma ameaça potencial para a segurança nacional, tanto em Espanha como em Marrocos.

  • Espanha e Portugal a um ponto dos oitavos

    Mundial 2018 / Irão

    A Espanha colocou-se esta quarta-feira a um ponto dos oitavos de final do Mundial 2018 e deixou Portugal em situação idêntica, ao vencer o Irão por 1-0, em jogo do grupo B, disputado em Kazan.

  • Os momentos que marcaram o 7.º dia de Mundial
    1:08
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Os momentos descontraídos dos jogadores
    1:54
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49