sicnot

Perfil

Mundo

Estragos do furacão Matthew estimados em 9 mil milhões

CRISTOBAL HERRERA / Lusa

As primeiras estimativas do custo económico da passagem do furacão Matthew pela costa leste dos EUA situam-se em 10 mil milhões de dólares (nove mil milhões de euros), segundo um estudo do Goldman Sachs, divulgado esta quarta-feira.

Daquele montante, relativo à destruição e ao encerramento forçado de empresas desde o Estado da Florida ao da Carolina do Norte, calcula-se que entre 4 mil milhões e 6 mil milhões sejam compensados pelas seguradoras.

O estudo assinalou, não obstante, que não se prevê que o furacão tenha efeito significativo sobre a economia dos EUA, uma vez que a maior parte respeita a estragos diretos nas cerca de um milhão de casas, destruídas ou afetadas pelo furacão.

Este valor é inferior ao da destruição do furacão Sandy, que, em 2012, provocou uma destruição estimada em 75 mil milhões de dólares, também na costa atlântica dos EUA, se bem que mais a norte, nos Estados de Nova Jérsia e Nova Iorque.

O furacão Matthew fustigou especialmente os Estados da Florida, Geórgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte.

As últimas informações indicam que o Matthew provocou, pelo menos, 36 mortes.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.