sicnot

Perfil

Mundo

"Mulher Maravilha" embaixadora da ONU para a autodeterminação feminina

Warner Pictures

A "Mulher Maravilha", a personagem popular da DC Comics, será a partir deste mês embaixadora honorária das Nações Unidas para a autodeterminação de mulheres e meninas, anunciou esta quarta-feira a organização.

A heroína das séries de televisão e banda desenhada vai ser oficialmente designada como embaixadora honorária das Nações Unidas para a autodeterminação de mulheres e meninas, durante uma cerimónia em que participará o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, no dia 21 de outubro.

Na ocasião, será lançada uma cerimónia de um ano sobre igualdade de género e empoderamento das mulheres, um dos novos objetivos globais das Nações Unidas para os próximos 15 anos.

"Wonder Woman", no original em inglês, é uma das histórias mais populares da DC Comics e chegará ao grande ecrã, com a atriz israelita Gal Gadot como protagonista, num filme com o mesmo título, esperado para junho de 2017.

Lusa

  • Celebrar o Dia Internacional da Rapariga
    1:06

    Mundo

    O Dia Internacional da Rapariga assinala-se esta terça-feira. Uma ocasião para alertar para casos de risco em todo o mundo. Neste dia, também estreou um documentário de uma história inspiradora, passada na Índia.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.