sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia Internacional pede a Obama que dê prioridade aos direitos humanos

A Amnistia Internacional apelou ao Presidente norte-americano para que aposte nos direitos humanos nos últimos 100 dias de mandato, com o encerramento de Guantánamo, a proteção de refugiados e o fim da venda de armas usadas contra civis.

Barack Obama tem "uma cada vez mais pequena janela de oportunidade para fazer valer algumas das promessas que fez quando assumiu o cargo", e deve "elevar os direitos humanos a uma prioridade antes de sair" da Casa Branca, defende, num comunicado hoje divulgado, Margaret Huang, diretora executiva da secção norte-americana da Amnistia Internacional (AI).

A organização não-governamental (ONG) de defesa dos direitos humanos refere que Obama deve encerrar a prisão de Guantánamo, onde permanecem 61 detidos, alguns há 14 anos e sem acusação formal.

"Se o Presidente Obama não fechar Guantánamo antes de terminar o mandato, [a prisão] pode nunca fechar", avisa Huang, que considera aquele local um símbolo de "violações sistemáticas de direitos humanos internacionais" e receia que possa mesmo vir a ser utilizado para receber novos prisioneiros.

Outra medida que a ONG reclama é a proteção de refugiados e requerentes de asilo que fogem da violência, causada por gangues, da Guatemala, El Salvador e Honduras.

"Não é suficiente confiar a segurança de milhares de pessoas ao próximo Presidente. O Presidente Obama deve garantir refúgio àqueles que fogem da violência e conceder proteção temporária" aos que já estão nos Estados Unidos, afirma a responsável da organização.

Por fim, a Amnistia Internacional afirma que Washington continua a vender armas à Arábia Saudita, Egito, Israel e outros aliados no Médio Oriente, "apesar de provas de que estas armas são usadas para cometer violações de direitos humanos e lei humanitária internacional".

"O Presidente Obama pode garantir que isto para na sua administração, impondo condições mais rígidas sobre ajuda militar, com o objetivo de chegar a um embargo em qualquer país onde armas norte-americanas têm sido usadas para violar direitos humanos", acrescentou a diretora da AI dos Estados Unidos.

Os Estados Unidos elegem a 08 de novembro o seu próximo Presidente, o 45.º da história norte-americana e o sucessor de Barack Obama, num ato eleitoral disputado pela primeira mulher candidata de um grande partido, Hillary Clinton (democrata), e pelo magnata do imobiliário Donald Trump (republicano).

Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59