sicnot

Perfil

Mundo

Canadá recomenda evitar viagens para a Venezuela

O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Canadá emitiu esta quinta-feira uma alerta recomendando aos cidadãos canadianos que evitem viajar para a Venezuela devido à criminalidade violenta e à instabilidade política e económica no país.

© Blair Gable / Reuters

No alerta, são desaconselhadas "as viagens não essenciais para a Venezuela, devido ao nível significativo de crimes violentos, à situação política e económica instáveis e ao declínio das condições básicas de vida, incluindo a escassez de medicamentos, produtos alimentares e água, no país", lê-se na página do ministério canadiano na Internet.

O alerta sublinha ainda que "desde 15 de janeiro de 2016 que está em vigor (na Venezuela) um estado nacional de exceção (emergência)".

Por outro lado recomenda aos canadianos que tenham precauções especiais pelo vírus Zika, que "as mulheres grávidas e quem estiver a considerar engravidar deve evitar viajar para a Venezuela".

O Canadá adverte que, apesar do alerta, quem decidir viajar deve "planificar cuidadosamente a viajem antes da chegada" e procurar ajuda de empresas de turismo respeitáveis, de familiares ou amigos que "compreendam bem a situação atual", mantendo-se em hospedagem "com boa segurança".

"A Venezuela tem uma das maiores taxas de homicídio do mundo. Os assassínios e outros crimes violentos, incluindo assaltos à mão armada, invasão de domicílio, roubo de carro e sequestro com finalidade de pedir resgate, estão presentes em todo o país", afirma.

Segundo o alerta, "a violência contra moradores e visitantes" pode ocorrer "em qualquer lugar, a qualquer momento", inclusive em áreas populares entre os turistas, devendo os cidadãos manterem a calma e não oporem resistência em caso de ameaças.

O alerta chama ainda a atenção para o bloqueio de estradas, roubos a autocarros e viaturas cujos motoristas param para verificar danos ocasionados por pedras atiradas intencionalmente, recomendando ter sempre com as portas e janelas fechadas.

Lusa

  • Mais de 50 concelhos do país em risco máximo de incêndio

    País

    Mais de meia centena de concelhos de dez distritos do país estão hoje em risco 'máximo' de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). De acordo com o IPMA, estão sob este aviso 51 concelhos dos distritos de Castelo Branco, Faro, Portalegre, Santarém, Coimbra, Leiria, Guarda, Vila Real, Viseu e Bragança.

  • "Ao contrário do que diz a direita, o futuro dos jovens é aqui"
    0:52

    Economia

    António Costa atacou esta sexta-feira à noite a direita com o aumento do emprego jovem. Perante vários jovens no acampamento nacional da Juventude Socialista, o secretário-geral do PS dirigiu-se ainda aos partidos de direita para garantir que o aumento do salário mínimo está a criar mais emprego com maior qualidade.

  • Uma viagem aérea por Pegões
    1:00
    Visão de Portugal

    Visão de Portugal

    DIARIAMENTE NO JORNAL DA NOITE

    O espaço Visão de Portugal, do Jornal da Noite da SIC, mostra o país através de imagens aéreas. A rubrica leva-nos esta sexta-feira a sobrevoar Pegões, no concelho de Tomar. 

  • Porto eleito pela terceira vez o melhor destino europeu 
    2:53

    País

    O Porto foi eleito o melhor destino europeu pela terceira vez e as distinções internacionais não param de chegar. Desta vez os elogios chegam através da norte-americana CNN. Os preços acessíveis, a gastronomia, a história e a arquitetura são os pontos da cidade que tem a rua com maior tráfego do país. 

  • Lisboa é o terceiro melhor destino de cruzeiros
    1:22

    País

    O Turismo em Lisboa tem registado um crescimento. A cultura, a arte e os preços baixos são os pontos fortes apontados pelos turistas. A capital é já considerada o terceiro melhor destino de cruzeiros. O novo terminal do porto de Lisboa e a ligação direta a Pequim deverão aumentar ainda mais o número de visitantes.

  • Ir ao Minho e a Sintra
    22:50
  • Líder da Palestina hospitalizado

    Mundo

    O Presidente palestiniano, Mahmud Abbas, de 82 anos, foi hospitalizado este sábado em Ramallah, na Cisjordânia, para se submeter a um "exame de rotina" durante algumas horas, anunciou um porta-voz.