sicnot

Perfil

Mundo

MNE diz que Guterres interpreta os mais vulneráveis melhor do que ninguém

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, disse esta quinta-feira em Nova Iorque que o secretário-geral da ONU designado, António Guterres, "interpreta melhor do que ninguém, neste momento, as aspirações mas também as necessidades e o sofrimento dos mais vulneráveis."

"As Nações Unidas acabam de escolher para seu secretário-geral uma pessoa que interpreta melhor do que ninguém, neste momento, as aspirações mas também as necessidades e o sofrimento dos mais vulneráveis e que foi muito claro ao dizer ao que vem", disse Augusto Santos Silva, que participou na sessão da Assembleia-geral da ONU que aclamou António Guterres como 9.º secretário-geral da organização.

"Quando [António Guterres] diz 'o valor que me interessa é a dignidade humana' e 'o que é preciso cultivar mais eficazmente é a diplomacia da paz", está a dizer ao que vem", acrescentou.

No primeiro discurso na Assembleia-geral da ONU, após aclamação como novo líder das Nações Unidas, que iniciará funções em 1 de janeiro de 2017, António Guterres repetiu as duas palavras que resumem o que sentiu quando soube da decisão tomada pelo Conselho de Segurança de o indicar para liderar a organização internacional: "gratidão e humildade".

Mas agora juntou-lhe "um profundo sentido de responsabilidade", garantindo que não terá todas as respostas, nem imporá opiniões.

"O que posso dizer, como pessoa que conhece bem António Guterres e teve a honra de lidar de perto com ele, é que não se espera outra coisa do próximo secretário-geral além de liderança, independência e capacidade de ouvir todos e estar junto daqueles que estão em posição mais vulnerável", defendeu o ministro.

"Esse é o compromisso da vida dele. O compromisso que teve na carreira política nacional e, evidentemente, a sua marca nos dez anos como Alto-comissário para os Refugiados", acrescentou.

Santos Silva disse que o novo secretário-geral da ONU "foi muito claro em definir o tópico fundamental da sua agenda: a diplomacia para a paz" e que "definiu claramente quais eram os interesses de que era porta-voz, que são os interesses das populações, dos povos, e não os interesses das grandes potências e muito menos da estrutura interna das Nações Unidas."

O chefe da diplomacia portuguesa sublinhou ainda um ponto comum em todos os discursos que antecederam a primeira apresentação de António Guterres como secretário-geral designado: "A enorme unidade que se formou no âmbito da Assembleia-geral e no âmbito do Conselho de Segurança à volta da sua candidatura."

Lusa

  • Donald Tusk quer trabalhar com proximidade a Guterres

    Mundo

    O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, disse esta quinta-feira ter recebido "com grande satisfação" a escolha de António Guterres para secretário-geral das Nações Unidas, com quem afirma querer trabalhar sobre migrações, terrorismo, mudanças climáticas e paz.

  • Presidente e Governo franceses saúdam nomeação de Guterres

    Mundo

    O Presidente francês, François Hollande, felicitou hoje António Guterres pela nomeação como secretário-geral das Nações Unidas, considerando que estará "plenamente à altura" dos desafios que o mundo enfrenta, como o terrorismo, alterações climáticas e tragédias humanitárias.

  • Os principais momentos da escolha de Guterres para secretário-geral

    Guterres na ONU

    O antigo primeiro-ministro português António Guterres foi confirmado esta quinta-feira como secretário-geral da ONU, concluindo um processo de seleção considerado como o mais transparente da história das Nações Unidas. O antigo Alto-Comissário das Nações Unidas para os Refugiados venceu todas as votações realizadas pelo Conselho de Segurança, apesar de vários dirigentes políticos defenderem uma mulher da Europa de Leste para o cargo. Conheça aqui alguns dos principais momentos do processo de escolha do novo secretário-geral da ONU.

  • O que foi dito sobre António Guterres

    Guterres na ONU

    António Guterres foi aclamado esta quinta-feira secretário-geral da ONU. A agência Lusa reuniu uma série de citações sobre a escolha do antigo primeiro-ministro português para o mais alto cargo das Nações Unida. Conheça aqui o que foi dito sobre António Guterres.

  • A emotiva aclamação de António Guterres
    3:02

    Guterres na ONU

    A assembleia-geral da ONU confirmou esta quinta-feira a escolha feita pelo Conselho de Segurança, há uma semana. António Guterres foi aclamado como novo secretário-geral das Nações Unidas. No discurso, Guterres voltou a apresentar-se com "gratidão e humildade" e prometeu manter um "grande sentido de responsabilidade."

  • Guterres promete ser um mediador ao serviço de todos
    1:44

    Guterres na ONU

    No primeiro discurso na Assembleia-geral da ONU, após aclamação como 9.º secretário-geral das Nações Unidas, que iniciará funções em 1 de janeiro de 2017, António Guterres prometeu ser um mediador, trabalhar ao serviço de todos e proteger as mulheres e os mais fracos.

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32