sicnot

Perfil

Mundo

Rebeldes do Iémen negam ataque a navio de guerra dos EUA

© Reuters

Os rebeldes xiitas houthis do Iémen negaram hoje terem disparado mísseis para atingir um navio de guerra norte-americano, como afirmam os Estados Unidos.

As afirmações norte-americanas "não têm fundamento", afirmou um responsável militar ligado ao campo dos rebeldes à agência governamental Saba, citada pela France Press.

"O exército [aliado dos rebeldes] e os comités populares [milícias] não têm nada a ver com essa ação", acrescentou.

Os Estados Unidos anunciaram hoje que bombardearam três alvos em zonas do Iémen controladas pelos rebeldes houthis, após ataques com mísseis a barcos de guerra norte-americanos no domingo e na quarta-feira.

Um navio de guerra dos EUA, o USS Mason, foi na quarta-feira visado novamente ao largo das costas do Iémen por um tiro de míssil, sem sucesso, três dias depois de um incidente similar, revelou no mesmo dia um dirigente norte-americano.

O navio utilizou contramedidas para anular o míssil, mas não está claro se foram estas que provocaram a queda do engenho no mar, especificou aquele dirigente.

Tal como no ataque anterior, ocorrido no domingo, o míssil foi disparado a partir de um território controlado pelas milícias houthis, ainda segundo a mesma fonte.

Lusa

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07