sicnot

Perfil

Mundo

Rússia oferece-se para garantir retirada segura de rebeldes de Alepo

A Rússia ofereceu-se esta quinta-feira para garantir a retirada segura dos rebeldes de Alepo, mas manteve os bombardeamentos de apoio à ofensiva das forças sírias contra a parte da cidade controlada por forças da oposição.

"Estamos prontos para garantir uma retirada segura dos rebeldes, com as suas armas, a livre passagem dos civis de e para a parte leste de Alepo e a entrega de ajuda humanitária", disse o general russo Serguei Rudskoi numa conferência de imprensa.

O responsável militar acrescentou em seguida estar disposto a "discutir qualquer iniciativa ou sugestão".

As forças militares russas tinham anunciado, no final de julho, a abertura de quatro corredores humanitários em volta de Alepo, segunda maior cidade da Síria, além de pontos de saída preexistentes.

Esses corredores, segundo Moscovo, permitiram na altura a saída de 169 civis e a rendição de 69 combatentes.

A nova proposta russa é feita a dois dias de conversações sobre a Síria, sábado em Lausanne, entre russos, norte-americanos e representantes de países da região.

A reunião será a primeira entre os chefes das diplomacias da Rússia e dos Estados Unidos, Serguei Lavrov e John Kerry, desde o anúncio por Washington, no início de outubro, do congelamento das negociações bilaterais devido ao fracasso do cessar-fogo negociado entre os dois países.

Um dia depois da reunião de Lausanne, no domingo, John Kerry vai a Londres para se reunir com "parceiros internacionais", uma provável referência às potências europeias aliadas dos Estados Unidos - Alemanha, França e Reino Unido.

Depois do fracasso do cessar-fogo na Síria, as forças do regime lançaram a 22 de setembro uma vasta ofensiva para expulsar os rebeldes que controlam a parte leste de Alepo.

Ao longo do dia de hoje, mais de duas dezenas de bombardeamentos visaram vários bairros rebeldes de Alepo, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, que contabilizou a morte de pelo menos sete civis.

Na terça e na quarta-feira, segundo aquela organização não-governamental, foram mortos respetivamente 56 e 15 civis naquela parte da cidade.

A utilização de bombardeiros Su-24, disse o general russo, "permitiu garantir uma eficácia dos ataques de quase 100%".

Numa resposta indireta às acusações ocidentais de que a Rússia está a cometer "crimes de guerra" em Alepo, o general Rudskoi assegurou que "nenhum bombardeamento cego" foi conduzido pelas forças russas.

Lusa

  • Putin diz que Moscovo não cede a pressões sobre a Síria
    1:34

    Mundo

    A cada dia que passa, agrava-se a tensão entre a Rússia e o ocidente sobre a situação na Síria. Apesar disso, Vladimir Putin mantém-se firme no apoio a Damasco. O Presidente russo acusa o ocidente de não ter levado a sério o apoio russo à proposta do enviado da ONU à Síria. Já o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, acusou a Rússia pelos bombardeamentos e apelou a protestos contra Moscovo junto à embaixada em Londres.

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.