sicnot

Perfil

Mundo

Israel suspende cooperação com UNESCO

Israel anunciou esta sexta-feira a suspensão da cooperação com a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), na sequência da aprovação de uma resolução que nega o laço histórico milenar entre judeus e Jerusalém.

Numa carta dirigida à diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, e publicada na rede social Twitter, o ministro da Educação israelita, Naftali Bennett, acusa a organização de dar "um apoio imediato ao terrorismo islâmico".

Bennett anuncia a suspensão pela comissão israelita da UNESCO de "todas as atividades profissionais com a organização internacional".

A resolução proposta por países árabes, incluindo o Egito, Líbano e Argélia, foi adotada por um comité e será submetida na próxima terça-feira ao conselho executivo da UNESCO, com sede em Paris.

A proposta refere-se à "Palestina ocupada" e pretende "salvaguardar a herança cultural palestiniana e o caráter distintivo de Jerusalém Oriental", de acordo com o texto, descrito pela agência de notícias France Presse (AFP). Foi aprovada com 24 votos favoráveis, seis contra e 26 abstenções, além de duas ausências.

O texto refere-se a Israel como um "poder ocupante".

O estatuto de Jerusalém é o tema mais difícil no conflito israelo-palestiniano, desde a anexação de Jerusalém Oriental, por Israel, numa ação que não foi reconhecida pela comunidade internacional.

Os palestinianos veem esta zona como a capital do seu futuro Estado.

O voto de hoje surge seis meses depois de a organização ter adotado uma resolução sobre a mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém, que não mencionava o nome judeu do local, Monte do Templo.

"Dizer que Israel não tem ligação ao Monte do Templo e ao Muro das Lamentações é como dizer que a China não tem ligação à Muralha da China ou que o Egito não tem ligação às pirâmides", afirmou na quinta-feira o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

Também o parlamento israelita condenou a posição da UNESCO.

Uma fonte diplomática palestiniana referiu que as novas resoluções referem a "importância da Cidade Antiga de Jerusalém para as três religiões monoteístas".

O Monte do Templo é um lugar sagrado para judeus, cristãos e muçulmanos.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.