sicnot

Perfil

Mundo

Moscovo ratifica acordo militar com a Síria por tempo indeterminado

O Presidente russo, Vladimir Putin, ratificou o acordo entre Damasco e Moscovo - "por tempo indeterminado" - sobre o envio de meios aéreos para o aeródromo militar de Hmeimin, na Síria, anunciou hoje o Kremlin.

O acordo, assinado inicialmente no dia 26 de agosto de 2015, permite a presença permanente de meios aéreos militares russos no aeródromo, na Síria, e que é utilizado para as operações de apoio ao regime de Bashar al Assad.

O acordo estipula também que os elementos da Força Aérea da Rússia que se encontram destacados em Hmeimim ficam isentos do pagamento de impostos na Rússia, assim como de controlos alfandegários.

As famílias dos militares russos destacados na Síria passam também a beneficiar de imunidade diplomática.

Um ano após o início da intervenção militar na Síria, a Rússia continua a reforçar a presença militar, com tropas e arsenal, onde efetua operações aéreas, nomeadamente, na zona de Alepo, no norte do país, apesar das críticas dos países ocidentais.

Segundo a France Presse, mais de 4.300 militares russos foram enviados para a Síria e concentram-se, maioritariamente, na base aérea de Hmeimim, perto de Lattaquié, uma zona de influência do Presidente Bashar al Assad.

Na base de Hmeimim encontram-se mais de vinte bombardeiros e dezenas de helicópteros de combate, além dos mísseis de defesa anti área S-400.

A Rússia utiliza ainda as instalações portuárias de Tartous, no litoral norte da Síria e que vão ser transformadas numa "base naval permanente", de acordo com o anúncio feito na segunda-feira pelo vice-ministro russo da Defesa, Nikolai Pankov.

Lusa

  • Regime sírio intensifica ataques sobre Alepo
    2:03

    Mundo

    A ofensiva das forças do regime sírio sobre Alepo intensificou-se nas últimas 24 horas com o apoio da força aérea da Rússia.A cidade foi alvo de novos ataques aéreos. De acordo com as equipas de socorro no terreno provocaram pelo menos 150 mortes.

  • Putin diz que Moscovo não cede a pressões sobre a Síria
    1:34

    Mundo

    A cada dia que passa, agrava-se a tensão entre a Rússia e o ocidente sobre a situação na Síria. Apesar disso, Vladimir Putin mantém-se firme no apoio a Damasco. O Presidente russo acusa o ocidente de não ter levado a sério o apoio russo à proposta do enviado da ONU à Síria. Já o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, acusou a Rússia pelos bombardeamentos e apelou a protestos contra Moscovo junto à embaixada em Londres.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51