sicnot

Perfil

Mundo

Obama emite diretiva presidencial para tornar "irreversível" abertura a Cuba

© Carlos Barria / Reuters

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, emitiu esta sexta-feira uma diretiva presidencial para tornar "irreversível" a abertura a Cuba, consolidando mudanças adotadas pelo seu Governo para a normalização bilateral e promovendo um "maior compromisso" entre os dois países.

"Persistem desafios - e divergências muito reais entre os nossos Governos em assuntos como democracia e direitos humanos -, mas creio que o compromisso é a melhor maneira de abordar essas diferenças e avançar em favor dos nossos interesses e valores", declarou Obama num comunicado a anunciar a diretiva.

Nesse sentido, o Governo norte-americano anunciou esta sexta-feira um novo afrouxamento ao embargo económico vigente sobre Cuba que permitirá, entre outras coisas, impulsionar a investigação médica conjunta e ajudar a melhorar a agricultura e as infraestruturas da ilha.

As novas alterações ao regime de sanções associado ao embargo imposto pelos Estados Unidos a Cuba foram anunciadas pelos departamentos do Comércio e do Tesouro e entrarão em vigor a 17 de outubro próximo, uma vez publicadas no Registo Federal dos Estados Unidos.

Com as novas normas, facilitam-se os projetos conjuntos de investigação médica entre cidadãos norte-americanos e cubanos e os Estados Unidos poderão importar produtos farmacêuticos de origem cubana aprovados pela Administração de Medicamentos e Alimentos norte-americana (FDA, na sigla em inglês).

Além disso, os norte-americanos autorizados poderão fornecer serviços relacionados com o desenvolvimento, reparação e manutenção de infraestruturas em Cuba.

A alteração mais popular para a maioria dos norte-americanos é a que permitirá aos viajantes que vão a Cuba levar sem limites, para consumo pessoal, tabaco e rum cubano na bagagem.

Quanto à agricultura, os Estados Unidos poderão exportar para a ilha artigos como pesticidas ou tratores, que já não estarão sujeitos, como outros, a restrições de pagamento em dinheiro ou a crédito.

Por outro lado, é eliminada a restrição que impedia a certos navios estrangeiros que tinham atracado num porto cubano entrar nos Estados Unidos para fins de carga ou descarga num prazo de 180 dias.

O secretário do Tesouro norte-americano, Jack Lew, indicou em comunicado que as medidas de aligeiramento do embargo hoje anunciadas permitirão "uma maior colaboração científica, subsídios e bolsas, contacto entre ambos os povos e o crescimento do setor privado" em Cuba.

"Estas medidas têm o potencial para acelerar a mudança construtiva e criar melhores oportunidades económicas para os cubanos e os norte-americanos", acrescentou Lew.

Desde o início do processo de normalização das relações bilaterais, em dezembro de 2014, o Presidente Obama adotou várias medidas executivas para atenuar o embargo económico a Cuba.

O levantamento total do embargo depende do Congresso norte-americano, atualmente controlado pelos republicanos.

Lusa

  • Hoje, o Primeiro Jornal está em Leiria
    1:13
  • Segunda vaga de incêndios queimou 28 mil hectares
    1:09

    País

    A segunda vaga de fogos que assolou o país queimou 28 mil hectares do território nacional, em apenas cinco dias. Segundo o Sistema Europeu de Incêndios, a área ardida equivale a quase três concelhos de Lisboa.

  • Bigode de Salvador Dalí está intacto, às "10 para as 10"

    Cultura

    O corpo do pintor surrealista catalão foi ontem exumado no Teatro-Museo de Figueres, por ordem de um tribunal de Madrid, para um exame de determinação de paternidade de Pilar Abel, que alega ser filha do artista. O pintor que morreu há 28 anos foi embalsamado e mumificado pelo que o corpo continua preservado e o famoso bigode levantado.

  • Mulher do primeiro-ministro japonês "é uma mulher fantástica mas não fala inglês"
    0:35

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos falou pela primeira vez sobre o segundo encontro que manteve com Vladimir Putin, durante a Cimeira do G20, em Hamburgo. Donald Trump explica que a conversa com o Presidente russo resultou de uma troca de lugares durante um jantar. Trump ficou ao lado da mulher do primeiro-ministro japonês, que não saberia falar inglês, e Melania estava sentada ao pé do Presidente da Rússia, Vladimir Putin.

  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26