sicnot

Perfil

Mundo

Militares egípcios lançam ataques aéreos contra Daesh na península do Sinai

Militares egípcios lançaram hoje ataques aéreos contra alvos 'jihadistas' na Península do Sinai, anunciou o Exército egípcio, depois do Daesh ter matado na sexta-feira 12 soldados egípcios num 'checkpoint'.


O norte do Sinai é uma fortaleza dos extremistas sunitas, que mataram centenas de soldados e polícias desde a queda do presidente islamita egípcio Mohamed Morsi em 2013.

Na sexta-feira os 12 soldados egípcios morreram quando morteiros e foguetes foram disparados contra um posto do exército a oeste de El-Arish, capital da província de Sinai do Norte, de acordo com funcionários.

O Exército disse num comunicado lido na televisão que os aviões tinham saído de madrugada para uma missão de reconhecimento e bombardeamento que durou várias horas e que ainda estava a decorrer.

Os militares disseram que os alvos eram esconderijos de extremistas armados envolvidos no ataque de sexta-feira e adiantaram que foram mortos 'jihadistas' destruídas armas.

Nos últimos anos, militares egípcios foram destacados para a península do Sinai para combater os "jihadistas'.

O Estado Islâmico também tem atacado estrangeiros no Egito, tendo reivindicado um atentado contra um avião russo que transportava turistas de regresso a casa que tinham estado numa estância no Sinai no ano passado. Todas as 224 pessoas a bordo morreram.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.